8 de novembro de 2009

Plantas que funcionam como filtros naturais

Nossas casas devem ser portos seguros, lugares que fortaleçam a saúde e acalmem o espírito. Hoje, porém, os materiais sintéticos utilizados na construção, nas mobílias e nos aparelhos eletrônicos emitem substâncias químicas orgânicas voláteis no ambiente. Os formaldeídos provenientes de sacos plásticos, o benzeno de papéis de parede e o xileno de telas de computador podem agravar alergias e fadigas. Peça socorro à mãe natureza: as plantas são os melhores purificadores de ar que existem. Elas produzem oxigênio e eliminam os efeitos nocivos dos poluentes químicos que estão no ar. As mais eficazes são palmeiras, hera inglesa, figueiras, lírios da paz e crisântemos. Encha a casa de plantas e filtre o ar que você respira.

Fonte: extraído do livro "Os segredos da longevidade - centenas de maneiras de viver bem até os 100 anos, Dr. Maoshing Ni".

30 de outubro de 2009

A função das vitaminas

As vitaminas são compostos químicos essenciais à vida e vitais à manutenção da saúde e ao crescimento do organismo humano.
Vitamina A (Retinol)
Forma pigmentos que adaptam a visão ao escuro, atua sobre a pele (acne), mucosas (sinusite, infecção da garganta, brônquios, intestinos etc).
Fontes principais: Fígado de peixe, pimenta vermelha, alfafa germinada, salsa, agrião, cenoura crua, damasco seco, legumes verdes ou alaranjados, pólen, ovo, manteiga.
Inimigos: álcool, óleo mineral, desidratação, calor, café, cigarro, cortisona.
A deficiência causa: cegueira noturna, ulcerações da córnea, lesões cutâneas como pele áspera.

Vitamina B1 (Tiamina)
Facilita a absorção dos glicídios, age sobre o sistema nervoso (depressão, neuralgias, cansaço), tono muscular do coração e dos intestinos.
Fontes principais: Pólen, levedo, germe de trigo, grãos germinados, nozes, farelo de arroz, carne, cereais integrais e legumes.
Inimigos: álcool, alguns antibióticos, calor, anti-ácidos, barbitúricos.
A deficiência causa: beribéri, atrofia muscular, fadiga e perda de peso.

Vitamina B2 (Riboflavina)
Protege a pele, olhos (catarata), cabelos e metabolismo celular.
Fontes principais: carnes, aves, manteiga, fígado, ovos, pólen, levedo, cogumelos, alfafa germinada, nozes, trigo integral, ameixa, pêra.
A deficiência causa: fissura nos lábios, estomatite, prurido (dermatite).
Inimigos: álcool, luz.

Vitamina B3 (PP/Niacina)
Participa na obtenção de energia em todas as reações metabólicas, evita a pelagra, doença causada pela desnutrição que provoca fraqueza e dificuldades de engolir. Poderoso calmante natural, atua sobre o sistema nervoso (depressão e esquizofrenia).
Fontes principais: carne, peixe, amendoim, figo, tâmara, trigo integral, levedo, gema de ovo, pimenta vermelha, nozes, farelo de arroz, grãos germinados. Também é sintetizada pelas bactérias do intestino
A deficiência causa: pelagra, lesões de pele, fadiga, insônia, fibromialgia
Inimigos: álcool, açúcar branco e água.

Vitamina B5 (Ácido Pantotênico)
Transforma a gordura e os açúcares em energia, é necessária para o desenvolvimento do sistema nervoso central, regula o funcionamento das supra-renais. É chamada de vitamina anti-estresse.
Fontes principais: carnes, gema, geléia real, levedura, trigo, aveia, batata, ervilha, arroz integral, tomate, couve-flor.
A deficiência causa: dermatite, distúrbio degenerativo do sistema nervoso, transtornos gastrointestinais, artrite.
Inimigos: álcool, tranquilizantes, antibióticos, cigarro, calor, armazenamento em lata, açúcar branco.

Vitamina B6 (Piridoxina)
Participa do metabolismo das proteínas e dos glóbulos vermelhos do sangue, ajuda a atenuar espasmos musculares noturnos e cãibras nas pernas. É um diurético natural. É a vitamina que equilibra a mulher, por prevenir TPM, enxaquecas, irritabilidade e retenção de líquidos. Equilibra também o suco gástrico. É também coadjuvante na formação do neurotransmissor serotonina.
Fontes principais: levedura, banana, pêra, abacate, melão, repolho, ovos, frango, trigo integral, batata, laranja.
A deficiência causa: fadiga, vertigens, distúrbios nervosos, convulsões. A falta dessa vitamina prejudica a absorção de zinco.
Inimigos: álcool, calor, água, pílulas contraceptivas, armazenamento prolongado, exposição à radiação.
As pessoas que bebem álcool diariamente e as mulheres que fazem uso das pílulas anticoncepcionais devem suplementar essa vitamina pelos menos 50 mg por dia.

Vitamina B7 (Inusitol)
Neutraliza o colesterol (obesidade, arteriosclerose), cabelos (previne a calvície), atua sobre o sistema nervoso, sendo um calmante natural, agindo também na insônia.
Fontes principais: Pólen, levedo, laranja, germe de trigo, alfafa germinada, nozes, melão, iogurte.
A deficiência causa: insônia, colesterol alto, fibromialgia, anormalidades oculares.
Inimigos: café.

Vitamina B8 ou H (Biotina)
Atua no metabolismo das proteínas e gorduras, previne a calvície, trata a malária.
Fontes principais: soja germinada, levedo, grãos germinados, gema de ovo, rapadura.
A deficiência causa: calvície, malária.

Vitamina B9 (Ácido Fólico)
Atua nos glóbulos vermelhos prevenindo a anemia, previne má formação do feto, atua nos cabelos mantendo a cor natural e o equilíbrio hormonal.
Fontes principais: frutas, fígado, cereais integrais, vegetais crus, carnes, levedo, alfafa germinada, cogumelos, trigo integral.
A deficiência causa: anemia, problemas digestivos e neurológicos.
Inimigos: pílulas contraceptivas, álcool, água, luz, calor.

Vitamina B12 (Cianocobalamina)
Combate a anemia, ajuda a formar células vermelhas do sangue e as moléculas de ADN, ajuda na concentração e na memória.
Fontes principais: carne, fígado, peixes, algas, gema de ovo, levedo, alface, frutos do mar.
A deficiência causa: anemia, furuncolose e problemas neurológicos.
Inimigos: álcool, água, luz, calor, laxantes, anticoncepcionais.

Vitamina B13 (Ácido orótico)
Atua na regeneração celular (esclerose múltipla)
Fontes principais: soro do leite, hortaliças cruas

Vitamina B15 (Ácido pangâmico)
Melhora a oxigenação celular (qualquer intoxicação e o envelhecimento). Auxilia o processo de desintoxicação do fígado (antifadiga).
Fontes principais: Amêndoa do damasco, arroz integral, grãos germinados, levedo.

Vitamina B17 (Laetrile ou Amigdalin)
Combate o câncer
Fontes principais: Amêndoa do damasco, frutas.

PABA (Ácido paramino-benzóico)
Atua no crescimento, na pele e cabelo (mantém a cor natural).
Fontes principais: levedo, germe de trigo, grãos germinados, rapadura, frutas

Vitamina C
Atua no tecido conjuntivo (envelhecimento, dentes, gengivas, vasos sanguíneos, acelera a cicatrização depois de cirurgias, auxilia a absorção de ferro, mantém as fibras do colágeno. É um poderoso desintoxicante e antibiótico natural, combate o stress.
Fontes principais: hortaliças e frutas frescas (limão, laranja, cenoura), pimenta vermelha seca, brócoles, espinafre.
A deficiência causa: escorbuto, perda de apetite.
Inimigos: fumo, calor, água do cozimento, oxigênio, álcool, aspirina, anticoncepcionais, tetracilina, febre alta, cigarro, cortisona.

Vitamina D
Atua no metabolismo do cálcio em conjunto com o magnésio a fim de fixar o cálcio nos ossos. Favorece o equilíbrio do cálcio e fósforo, retendo-os nos ossos e dentes.
Fontes principais: O sol é a melhor fonte desde que sem o uso de filtro solar, óleo de fígado de bacalhau, peixe, grãos germinados, ovo, manteiga.
A deficiência causa: raquitismo, osteomalácia.
Inimigos: ausência de sol e óleos minerais.

 
Vitamina E
Melhora a oxigenação celular (energia geral, problemas circulatórios e cardíacos, prevenção do câncer), esterilidade, dores mestruais, beleza da pele (atua acelerando a cura de lesões).
Fontes principais: óleo de germe de trigo, grãos germinados, trigo integral, abacate, gema de ovo, cacau
Inimigos: fumo, óleo mineral, exposição ao ar e calor, excesso de cloro e ferro no organismo.

Vitamina K
Atua na coagulação do sangue e na prevenção de hemorragias. Participa do metabolismo do ferro.
Fontes principais: óleos não saturados, abacate, sementes de girassol germinadas, fígado, ovo, vegetais crus, nabo. Também é sintetizado no intestino.
A deficiência causa: inflamação do cólon e hemorragias, esterilidade e distrofia muscular.
Inimigos: congelação, poluentes e drogas como ácido acetilsalicílico (Aspirina), doenças do fígado e vesícula.

Vitamina P (Bioflavonóides)
Favorece a vitalidade dos vasos sanguíneos e da pele. Tem como nome químico a rutina ou citrina.
Fontes principais: limão, espinafre, páprica, folhas verdes como salsa.
A deficiência causa: varizes, hemorróidas, diabetes, problemas articulares.

Fonte: Livro: Você sabe se alimentar? Dr Soleil e o Universo dos Alimentos e das Terapias Naturais, autora Vanda Neves.

12 de outubro de 2009

O poder curativo do gergelim

A semente de gergelim, também conhecida como sésamo, é um alimento de alto valor nutricional, rico em óleo e proteínas. Seus grãos  encontram diversas aplicações na indústria farmaceutica, cosmética e química. No Brasil foi introduzido pelos portugueses no século XVI.
As vitaminas encontradas no gergelim são A, B1, B2, B3 e E, além dos minerais cálcio, magnésio, fósforo, ferro, sódio e potássio. Cem gramas dessa semente são disponibilizados cerca de 1160 mg de cálcio, sendo um dos campeões desse mineral. Os aminoácidos presentes no gergelim são a metionina, o triptofano e a arginina.

Curiosidades do gergelim

É largamente adicionado a rações bovinas e suínas para amaciar carnes e compor manteigas. A lecitina encontrada no gergelim é superior a todas as outras, inclusive a existente na soja, pois apresenta-se sob a forma de emulsão sendo mais fácil de ser absorvida pelo corpo humano. É riquíssimo em ferro, possui mais potássio e fósforo que na banana ou no suco de laranja.
O nível de alergia ao gergelim pelos humanos e animais chega a praticamente zero.
O sesamol foi testado para diminuir os sintomas da doença nos grãos de soja (macrophomina phaseolina), e inibiu significativamente o crescimento dos patógenos e a doença da planta. Suas folhas servem no combate às formigas cortadeiras, uma praga da agricultura, por possuírem a substância sesamina, que foi identificada como inibidora do crescimento do fungo que é o principal alimento das formigas.

O gergelim e a Medicina Chinesa

As funções energéticas do gergelim são:
Tonificart o gan (fígado) e o shen (rins).
Umedecer os cinco órgãos, combatendo a secura.
Consolidar o qi (fluxo de energia e vitalidade) dos tendões e dos ossos.
Nutrir o yin qi (função do gergelim preto)
Tonificar o we (estômago) e os intestinos.
Acalmar o qi do gan (fígado)
Clarear a visão.
Nutrir e refrescar o xue (sangue)
Liberar os efeitos nocivos do calor perverso.
Agir como tônico geral, principalmente após as hemorragias.
O óleo de gergelim deve ser empregado nas frituras de produtos vegetais, pois essa combinação evita a perda da essência das plantas. Também deve ser usado por pessoas que fazem dieta exclusiva de vegetais, nas quais faltam os óleos, principalmente os essenciais. O óleo ainda combate a secura, suaviza os intestinos, favorecendo o peristaltismo, aquece o baço, restaura a medula, fortalece, ossos, visão, músculos e audição.
O gergelim também nutre e fortalece a energia do shen (rins), e com isso, aumenta, conserva e repõe a essência sexual. Também conserva e nutre os cabelos, pois eles estão relacionados à atividade energética dos rins. O consumo da semente evita o branqueamento precoce dos fios, já que normaliza a produção de melanina.
Quando se associa o gergelim à papa de arroz integral, promove-se o aumento da lactação.
O gergelim também tem ação antiinflamatória nos nervos periféricos.

Extrato de gergelim ("leite")
Ingredientes
1/2 xícara (chá) de semente de gergelim
1 xícara (chá) de água mineral gelada.

Preparo
Deixe as sementes de gergelim hidratarem em água filtrada por 4 horas (ou mais). Coloque as sementes e a água usada no liquidificador e acrescente a água mineral. Bata tudo e coe. Guarde a camada que fica sobre a peneira para preparar uma pasta ou patê.

Fonte: Gergelim - a semente da saúde. Editora Alaude. Autora: Beatriz R.Assumpção.

24 de setembro de 2009

Os mitos do colesterol

No nosso mundo moderno a palavra colesterol tornou-se praticamente um palavrão. Graças aos defensores que relacionam colesterol com coração. Se você acreditar no que diz a mídia vai achar que não existe um colesterol suficiente baixo e se fizer exames de sangue e constatar mais que 200mg/100ml certamente lhe receitarão pílulas anti-colesterol. Há mais de duas décadas os valores de referência eram cerca de 220-240, mas a Indústria farmacêutica na ânsia de aumentar seus lucros alterou a tabela para o limite de 200 a fim de forçar o aumento das vendas. Essas pílulas causam sérios efeitos colaterais, dentre eles, dores musculares, depressão, insônia, dentre outros. Muitos médicos quando receitam esses medicamentos não avisam seus pacientes quanto aos possíveis efeitos e poucos pedem a suplementação da vitamina anti-envelhecimento coenzima Q-10 que é diminuída na administração do remédio, resultando em dores. Além do mais já foi comprovado que níveis muitos baixos de colesterol podem acarretar sérios problemas de saúde, principalmente o LDL que é chamado de "mau" colesterol ficar abaixo de 70mg, podendo ocasionar doenças de esclerose múltipla, infecção por estaphylococcos aureos, bem como ataques psicóticos, tendências suicidas etc.
O colesterol é produzido pelo fígado e seu excesso é eliminado pelo intestino. Cerca de 15% provém da alimentação e o restante é fabricado pelo corpo. Ele participa da produção de nossos hormônios sexuais entre os quais a testosterona, progesterona e da nossa integridade celular. Se a alimentação contem pouco colesterol, o corpo fabricará o necessário. Todas as células de nosso corpo são formadas de colesterol. O leite materno fornece colesterol necessário ao desenvolvimento do cérebro do bebê. A criança que for privada do colesterol terá o desenvolvimento cerebral e a visão prejudicada.
Muitos infartos ocorrem em pessoas com colesterol normal, provando-se então que ele não é a causa do problema. O que se deve evitar é a sua oxidação pelos radicais livres, consumindo-se então, alimentos anti-oxidantes como frutas vermelhas em geral, vitamina C, A e E, verduras escuras etc. Peça a seu médico o exame de suas artérias, muito mais importante que o índice de colesterol.
Leia mais a respeito um interessante texto "colesterol: amigo ou vilão" contido no site http://www.melmex.net/ e outro texto cujo título é "colesterol não é causa de doença de cardiaca" do site http://www.umaoutravisao.com.br/

13 de setembro de 2009

Os males do aspartame

O Aspartame foi aprovado em 1981 apenas para uso em alimentos secos. Por mais de oito anos a FDA – Food and Drug Administration, órgão do governo norte-americano que regulamenta e aprova o uso e a comercialização de alimentos e medicamentos - recusou-se a aprová-lo por causa das convulsões e tumores cerebrais que esta droga provocou em animais de laboratório. A FDA continuou a recusar a aprovação até que o presidente Reagan (um amigo da Searle, empresa que criou o aspartame) assumiu o governo e demitiu o Comissário da FDA que não queria aprovar o produto. O dr. Arthur Hull Hayes foi nomeado comissário. Mesmo então a aprovação foi alvo de tanta oposição que se criou uma Comissão de Inquérito. A Comissão concluiu: "Não aprovem o aspartame". O dr.Hayes PASSOU POR CIMA de sua própria Comissão de Inquérito.
Pouco depois de o Comissário Arthur Hull Hayes Jr. aprovar o uso de aspartame em bebidas carbonatadas, largou o cargo em troca de um excelente emprego na empresa de relações públicas da G.D. Searle.
Danos a Longo Prazo. O aspartame pode causar danos de forma lenta e silenciosa nos pobres coitados que não apresentam reações imediatas que os impeçam de usá-lo. Pode levar um ano, cinco anos, 10 ou 40 anos, mas a substância provoca, a longo prazo, mudanças da saúde – geralmente reversíveis mas às vezes não.
METANOL (também conhecido como álcool de madeira e veneno) - representa 10% do aspartame. O metanol é um veneno mortal. Já causou a morte e a cegueira de muita gente. O metanol é liberado aos poucos no intestino delgado quando o grupo metil do aspartame encontra a enzima quimotripsina.
A absorção do metanol pelo corpo é bastante apressada com a ingestão de metanol livre. O aspartame se decompõe em metanol livre quando aquecido acima de 30°C. Isso acontece quando o produto que contém aspartame é armazenado de forma imprópria ou quando é aquecido (por exemplo, quando faz parte de um "alimento" como gelatina diet, ou quando é usado para adoçar o cafezinho).
No corpo, o metanol decompõe-se em ácido fórmico e formaldeído. O formaldeído é uma neurotoxina mortal. Uma avaliação da EPA (Environmental Protection Agency - Agência de Proteção Ambiental norte-americana) sobre o metanol afirma que ele "é considerado um veneno cumulativo dada a baixa taxa de excreção após ser absorvido. No corpo, o metanol é oxidado em formaldeído e ácido fórmico; esses dois metabólitos são tóxicos." O limite recomendado de consumo é de 7,8mg por dia. Um litro de refrigerante adoçado com aspartame contém cerca de 56mg de metanol. Grandes usuários de produtos que contenham aspartame podem consumir até 250mg de metanol por dia, ou seja, 32 vezes o limite máximo da EPA.
Os males mais conhecidos causados pelo envenenamento por metanol são os problemas de visão. O formaldeído é uma substância carcinogênica, causa danos à retina, interfere com a duplicação do DNA e causa defeitos congênitos no feto. Por causa da falta de duas enzimas fundamentais, os seres humanos são muitas vezes mais sensíveis aos efeitos tóxicos do metanol do que os outros animais. Como indica o dr. Woodrow C. Monte, diretor do Laboratório de Ciência Alimentar e Nutrição da Universidade do Estado do Arizona: "Não há estudos em mamíferos ou seres humanos para avaliar os possíveis efeitos mutagênicos, teratogênicos ou carcinogênicos da administração crônica de álcool metílico.
Já se divulgou que sucos de fruta e bebidas alcoólicas contêm pequenas quantidades de metanol. Mas é importante lembrar que o metanol em produtos naturais nunca ocorre isolado. Na natureza, há também a presença de etanol, geralmente em quantidade muito maior. O etanol é um antídoto para a toxidade do metanol em seres humanos. As tropas da Operação Tempestade no Deserto (Guerra do Golfo) foram "presenteadas" com grande quantidade de bebidas adoçadas com aspartame, aquecidas acima de 30°C sob o sol da Arábia Saudita. Muitos soldados voltaram para casa com numerosos problemas de saúde semelhantes aos encontrados em pessoas quimicamente envenenadas com formaldeído. O metanol livre nos refrigerantes pode ter sido um fator importante destas doenças. Outros produtos da decomposição do aspartame, tais como DKP (dicetopiperazina da aspartilfenilalanina), podem ter contribuído também.
Numa resolução de 1993 que só pode ser descrita como irresponsável a FDA aprovou o aspartame como ingrediente de numerosos alimentos que devem ser sempre aquecidos acima de 30°C.
Como se não bastasse, em 27 de junho de 1996, sem nada divulgar, a FDA removeu todas as restrições ao aspartame, permitindo seu uso em tudo, inclusive em produtos quentes e assados.
A verdade sobre a toxidez do aspartame é muito diferente do que a NutraSweet Company quer que os consumidores acreditem. Em fevereiro de 1994, o Departamento de Saúde e Serviço Social dos Estados Unidos emitiu uma lista de reações adversas relatadas à FDA (DHHS 1994). O aspartame respondia por 75% de todas as reações negativas relatadas nesta lista. A própria FDA admitiu que menos de 1% dos consumidores que tiveram problemas com algum produto reclamam com a FDA. Isso faz as quase 10.000 queixas que receberam corresponderem a cerca de um milhão de pessoas. No entanto, a FDA tem um grave problema na manutenção de seus registros (nunca responderam à carta registrada do autor deste texto, Mark Gold, uma das vítimas) e tendem a desencorajar ou até mesmo confundir os queixosos, pelo menos em relação ao aspartame. Mas permanece o fato de que a MAIORIA das vítimas não tem a menor idéia de que o aspartame pode ser a causa de seus muitos problemas! Várias reações ao aspartame são muito graves, como convulsões e morte. Essas reações incluem (em ordem alfabética):
Artrite
Ardor nos olhos ou na garganta
Ardor ao urinar
Asma
Ataques de ansiedade
Ataques de pânico
Câncer no cérebro (estudos pré-aprovação em animais)
Coceiras
Confusão
Convulsões
Depressão
Diarréia
Dificuldades para pensar e raciocinar
Dificuldades para respirar
Dor abdominal
Dores nas articulações
Dores de cabeça e enxaquecas
Dores no peito
Dormência ou comichão nas extremidades
Enxaquecas ou dores de cabeça muito fortes (provocadas pelo uso crônico)
Espasmos musculares
Exantema (placas vermelhas pelo corpo)
Excesso de fome ou sede
Fadiga
Fadiga crônica
Fala arrastada
Fobias
Ganho de peso
Hipertensão (pressão alta)
Impotência e problemas sexuais
Incapacidade de concentração
Inchaço, edema (retenção de fluidos)
Insônia
Irritabilidade
Laringite
Morte
Mudanças marcantes de personalidade
Náusea e vômitos
Palpitações cardíacas
Pensamento enevoado
Perda de audição
Perda (calvície) ou queda de cabelo
Perda de memória
Perda de visão
Problemas ou alterações menstruais
Problemas de controle do açúcar no sangue (hipoglicemia ou hiperglicemia)
Reações alérgicas
Reações asmáticas
Rubor da face
Sentimento de irrealidade
Suscetibilidade a infecções
Taquicardia
Tinido nos ouvidos
Tosse crônica
Tontura
Tremores
Urticária
Vertigens

A doença do aspartame apresenta os mesmos sintomas e agrava as seguintes doenças:

Fibromialgia
Artrite
Esclerose múltipla
Mal de Parkinson
Lupus
Sensibilidade Química Múltipla (MCS)
Diabete e complicações relativas à diabete
Epilepsia
Mal de Alzheimer
Defeitos congênitos
Síndrome da Fadiga Crônica
Linfoma

Doença de Lyme (doença bacteriana causada pelo micro-organismo Borrelia burgdorferi, depois da picada de um carrapato infectado. Os sintomas incluem exantema (mancha vermelha) grande e circular no local da picada (em 50-60% dos casos), mal-estar, febre, dor de cabeça, dores musculares e inchaço dos nódulos linfáticos. Se não for tratada, pode provocar artrite e comprometer a função cardíaca.) Transtorno do Déficit de Atenção (ADD, hiperatividade),
Síndrome do Pânico Depressão e outros problemas psicológicos Como acontece O metanol do aspartame é liberado no intestino delgado quando o grupo metil do aspartame encontra a enzima quimotripsina (Stegink 1984, pág. 143). O metanol livre começa a formar-se em produtos líquidos contendo aspartame em temperaturas acima de 30°C – inclusive dentro do organismo humano.
O metanol é então convertido em formaldeído. Este transforma-se em ácido fórmico, que é o veneno da picada das formigas. Usa-se o venenoso ácido fórmico para remover verniz de epóxi e uretano. Imagine o que ele pode fazer nos tecidos de seu corpo!

A fenilalanina e o ácido aspártico, que compõem 90% do aspartame, são aminoácidos normalmente usados na síntese do protoplasma, quando fornecidos pelos alimentos que ingerimos. Mas quando desacompanhados dos outros aminoácidos que usamos (são 20), tornam-se neurotóxicos (nocivos ao sistema nervoso).
É por isso que há um alerta aos fenilcetonúricos nos adoçantes e produtos com aspartame. Os fenilcetonúricos correspondem a 2% da população e apresentam extrema sensibilidade à fenilalanina, exceto aquela ingerida através dos alimentos. Ela também é nociva ao restante da população, causando problemas cerebrais e defeitos em fetos. Além disso, a fenilalanina decompõe-se em DKP, um agente causador de tumores no cérebro.
Em outras palavras: o aspartame transforma-se em subprodutos perigosos para os quais não temos defesas naturais. O estômago vazio de quem faz regime acelera esta transformação e amplifica os danos. Os componentes do aspartame vão direto para o cérebro, causando dores de cabeça, confusão mental, convulsões e equilíbrio deficiente. Ratos de laboratório e outros animais usados nos testes morreram de tumores cerebrais.
Apesar das alegações da Monsanto e seus associados: O metanol do álcool e dos sucos de frutas não é convertido em formaldeído em quantidade significativa. Há indícios muito fortes que confirmam este fato quanto a bebidas alcoólicas e indícios bastante fortes no caso dos sucos.
O formaldeído obtido do metanol é muito tóxico mesmo em doses *muito pequenas*, como visto em pesquisa recente.
O aspartame causa reações/danos de intoxicação crônica devida ao metanol e ao formaldeído e outros subprodutos, apesar do que afirmam as experiências breves financiadas pela indústria usando uma substância de teste que é quimicamente diferente e absorvida de forma diversa do que a que está à disposição do grande público. "Estranhamente", quase todos os estudos independentes demonstram que o aspartame pode causar problemas de saúde.
A quantidade de metanol ingerida com o aspartame não tem precedentes na história humana. O metanol proveniente da ingestão de sucos de frutas nem sequer se aproxima da quantidade de metanol ingerida com o aspartame, especialmente em pessoas que tomem de um a três litros (ou mais) de refrigerantes dietéticos por dia. Diferentemente do metanol do aspartame, o metanol presente em produtos naturais ou não é absorvido ou é convertido em seus metabolitos em quantidade insignificante, como já explicamos acima. A inexistência de mudanças perceptíveis em laboratório do nível de ácido fórmico e formaldeído no plasma sanguíneo não exclui que esses metabolitos tóxicos estejam causando algum dano. Mudanças perceptíveis em laboratório dos níveis de sais do ácido fórmico costumam não acontecer com exposições rápidas ao metanol.
Os produtos que contêm aspartame costumam oferecer poucos ou nenhum nutriente que possa proteger do envenenamento crônico por metanol, e são geralmente consumidos entre as refeições. A maioria das pessoas que ingerem produtos com aspartame estão fazendo dieta e estão mais sujeitas a deficiências nutricionais do que as pessoas que preferem sucos de frutas frescos. Pessoas com certos problemas de saúde ou que estejam tomando certos remédios podem ser muito mais suscetíveis ao envenenamento crônico por metanol. As doenças crônicas e os efeitos colaterais de venenos de ação lenta costumam acumular-se em silêncio durante um longo período de tempo. Muitas doenças crônicas que parecem surgir de repente na verdade levaram muito tempo para se desenvolver no corpo. Um conjunto crescente de pesquisas está demonstrando que muitas pessoas são altamente sensíveis a baixas doses de formaldeído no ambiente. A exposição ambiental ao formaldeído e a ingestão de metanol (que se converte em formaldeído) com o aspartame tem provavelmente um efeito deletério cumulativo. Já se demonstrou que o ácido fórmico acumula-se aos poucos em várias partes do corpo. Já se demonstrou também que o ácido fórmico inibe o metabolismo do oxigênio.
Há um número grande e crescente de pessoas sofrendo de problemas crônicos de saúde semelhantes aos efeitos colaterais do envenenamento crônico por metanol ao ingerirem produtos com aspartame por um período de tempo significativamente longo. Isso inclui vários tipos de problemas oculares semelhantes ao tipo de dano encontrado nos casos de envenenamento por metanol. Nota sobre os efeitos da toxidade do uso do aspartame a curto ou longo prazo. Em geral são necessários sessenta dias, pelo menos, de abstinência do aspartame para que sejam visíveis melhoras significativas. Verifique cuidadosamente todos os rótulos (inclusive os de vitaminas e medicamentos). Procure a palavra "aspartame" no rótulo, e evite-o. É também boa idéia evitar "acesulfame-k", "neotame" e "sunette" (produtos semelhantes ou sucedâneos do aspartame, compostos basicamente das mesmas substâncias). Finalmente, evite procurar informações nutricionais junto à indústria alimentícia ou empresas de divulgação que recebem grandes somas de dinheiro da indústria alimentícia ou química, como a Associação Dietética Americana.
Se você usa qualquer produto com aspartame e tem problemas físicos, visuais ou mentais, experimente passar 60 dias sem aspartame. Se depois de dois meses sem ingerir nenhum aspartame seus sintomas se reduzirem aliviados ou desaparecerem, por favor, ajude a tirar esta neurotoxina do mercado. Escreva cartas aos jornais, às Secretarias e ao Ministério da Saúde, conte a sua história. . Escreva aos vereadores e deputados que você ajudou a eleger. Envie sua história para o representante da Mission Possible no Brasil (Beatriz Medina, diagrama@h..., que divulgará seu caso para a FDA e a sede da Mission Possible. Devolva os produtos com aspartame à loja que os vendeu... e exija seu dinheiro de volta. Faça uma cena se NÃO o reembolsarem! Conte a todos os seus amigos e à sua família... e se eles pararem de tomar aspartame e também melhorarem... traga-os para a briga!
O aspartame é um "adoçante aprovado" por causa de gente gananciosa e desonesta que coloca o lucro acima da vida e do bem-estar dos outros. Como a FDA e o Congresso americano também são culpados, só o público BEM-INFORMADO e ATIVO poderá afetar sua reclassificação de "aditivo alimentar" para "DROGA TÓXICA", a ser removida da cadeia alimentar humana.
Alguns produtos do mercado que tem aspartame:
Coca cola zero e vários refrigerantes light e diet
Biscoitos, balas (ex. trident), yougurtes (ex. activia), sucos e outros demarcados como diet ou light, tang, clight (verificar sempre na composição se tem aspartame).
O aspartame também é chamado de FENILALANINA, e quando isso é estampado no rótulo dos alimentos significa que tem ASPARTAME.
Produtos com aspartame podem causar cancer, veja videos aqui: http://aminhadieta.blogs.sapo.pt/140232.html

http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/scpro0711.nsf/1061f759d97a6b24832566ec0018d832/004fc40fc9d99a348325742e006d236b?OpenDocument

Alguns adoçantes contendo aspartame:

Aspartame Lowçucar
Finn
Slim Swett
Adocyl
Zero-Cal
Aspasweet pó
Doce Menor
Gold
Cristal diet
Docy low
Cristal diet
Equal
Stevia Classis Lowçucar
Multi-Adoçante Lowçucar
Zero-Cal
Mid Sugar
Docy low
Línea

Veja os ratos com cancer de útero, mama, próstata, pescoço, olho etc por ingerirem aspartame diariamente!
E depois tem gente que diz que aspartame não faz mal!

http://myaspartameexperiment.com/

Links para mais informações:

http://www.holisticmed.com/aspartame
http://www.dorway.com/books.html
http://www.dorway.com/amazon.html
http://www.taps.org.br/paginas/alimartii05.html
http://www.umaoutravisao.com.br/artigos/Alimentacao/aspartame.html

26 de agosto de 2009

Vitamina D para controlar a pressão

Veja abaixo interessante artido extraído do site http://www.melnex.net/saúde
"Existem muitas soluções naturais para pressão alta. Um dos métodos mais eficazes que tenho visto durante os últimos anos é a Vitamina D. Tenho notado uma redução significativa da pressão
arterial em pessoas que tenho atendido, quando elas tomam suplementos de Vitamina D. Veja que, sem um suprimento adequado de Vitamina D, um dos nossos genes (pequenas partes do DNA) inicia uma produção excessiva da molécula chamada renina. A renina decompõe outra molécula, o angiotensinogênio (ou hipertensinogênio) em angiotensina I. Essa angiotensina I é convertida em angiotensina II por uma substância conhecida como enzima conversora da angiotensina (sigla ACE, em inglês). A resultante final - - angiotensina II - - é a "substância ruim" que (quando em excesso) causa a pressão elevada. A maioria dos anti-hipertensivos patenteados mais renomados são inibidores de ACE e bloqueadores dos receptores da angiotensina II (ARB, em inglês). Mas a Vitamina D faz um trabalho melhor que esses medicamentos, pois ela ataca o problema no seu nível genético mais básico. Na sua forma totalmente ativada, a Vitamina D "convence" o gene que controla a produção de renina a tornar-se menos ativo. Quando cai a produção de renina, cai a produção dos "intermediários" citados acima, e o resultado final é menos angiotensina II e pressão sangüínea mais baixa. Isso significa que uma coisa tão simples como a suplementação de Vitamina D pode tornar desnecessários os inibidores de ACE (e os bloqueadores ARB).
Embora seja possível ocorrer uma ingestão excessiva de Vitamina D, pesquisas recentes têm reavaliado o limite máximo seguro dessa vitamina. E muitos especialistas hoje em dia concordam
que esse limite é 10.000 UI diárias. Para mim, a ingestão ideal de Vitamina D é a quantidade necessária para atingir um nível sangüíneo de aproximadamente 60 ng/ml (que é a média encontrada nas pessoas que vivem nos trópicos - pela maior exposição ao sol - e que apresentam substancialmente menos hipertensão do que as pessoas que vivem mais afastadas da linha do equador).
Se você quiser tentar a abordagem do "nível ideal de Vitamina D" para reduzir sua pressão, o melhor é sempre trabalhar em conjunto com o seu médico para monitorar o nível da Vitamina D no sangue. E seja paciente: geralmente leva de dois a três meses para que mudanças significativas comecem a ocorrer, e de seis a oito meses para que a Vitamina D cause seu efeito total."
O sol é a melhor fonte de vitamina D. Pode-se fazer uso também do óleo de fígado de bacalhau que tem vitamina A e D, além do suplemento via oral na forma de vitamina D3.
Fonte: Dicas de saúde do Dr. Jonathan Wright, http://www.tahoma-clinic.com/"

21 de agosto de 2009

A importância das enzimas

O termo enzima vem do grego "enzymos" = levedado. A primeira enzima foi extraída do levedo de cerveja, fungo microscópico, por Buschner, em 1897. Ele a chamou de "zymase", produto que tem as propriedades de fermentação do levedo de cerveja. As enzimas tem a faculdade de provocar ou acelerar uma reação bioquímica. Cada enzima é específica para uma reação em particular. Por exemplo, ao ingerir proteínas, nosso corpo precisa das enzimas para digerir, quebrar em aminoácidos. Calcula-se que temos em média de três a cinco mil enzimas em nosso corpo.
Todo alimento cru de origem vegetal ou animal está cheio de enzimas. No entanto, elas são muito frágeis e são destruídas pelo calor do cozimento. Todo alimento não cozido contém enzimas digestivas que são seus elementos mais preciosos. Óleos, gorduras e nozes, também contém bastante lipase, que facilita a digestão das gorduras. Frutas e legumes, contém boa quantidade de uma enzima necessária à destruição das fibras vegetais, assim como alimentos fermentados como missoshiru (sopa de pasta de soja), molho shoyu e o Floranew *. Uma prática que aumenta consideravelmente a atividade enzimática é o processo de germinação de sementes como o trigo, girassol, castanhas etc.
A falta de enzimas pode acarretar vários problemas de saúde, dentre eles são:
alergias; distúrbios de pressão, sono após as refeições, desânimo, muitos gases no trato digestivo, dor de estômago, azia, enjôo, diarréia, constipação, fezes mal cheirosas, tontura, pele áspera, alergia a pólen, cistite, catarata, hemorróidas, reumatismo, inflamação do pâncreas, esterilidade, câncer.
Motivos da diminuição de produção das enzimas
- aumento da idade
- hábitos alimentares inadequados;
- poluição, remédios alopáticos, agrotóxicos etc.
Numerosos estudos e experiências de laboratório mostram que os animais que comem alimentos crus apresentam grande resistência à doenças; esta resistência desaparece assim que comem alimentos cozidos.
Floranew: é um composto fermentado de mais de 80 ingredientes entre grãos, frutas, verduras, legumes, raízes, algas e especiarias, produzido pela empresa macrobiótica Anew, em perfeito equilíbrio entre yin e yang, cuja função é nutrir, ativar as enzimas, bem como aumentar a quantidade de bactérias benéficas no intestino.
Fonte: adaptado do livro: "Você sabe se alimentar? Autor Dr. Soleil

9 de agosto de 2009

Como fortalecer seu sistema imunológico

Em tempos de gripe, vale ressaltar que o principal remédio está no prato, bem como a adoção de um estilo de vida saudável, com o estresse equilibrado.

No caso de frutas cítricas, como a laranja ou abacaxi, dê preferência coma-as ao invés da ingestão do suco, pois a saliva da boca neutraliza a acidez, bem como eventual irritação na garganta, pois casos de faringite, por exemplo, com a ingestão de sucos ácidos machuca a mucosa, abrindo-se a entrada para os vírus. Suplemento de vitamina C, principalmente para quem é tabagista é recomendado, uma vez que é uma vitamina antioxidante. Não utilize ácido ascórbico, pois gera acidez excessiva no organismo. É preferível utilizar em forma de ascorbato, mais facilmente absorvido pelo corpo e sem efeitos colaterais. Dependendo da constituição física e do nível de estresse, varia entre 500mg e 10 gramas por dia. Pergunte ao seu médico.

Algumas ervas que ajudam a aumentar a imunidade são:
Equinácea (echinacea angustifolia): nativa dos Estados Unidos, tem sido utilizada há centenas de anos. Aumenta a atividade dos glóbulos brancos e tem efeito antibactericida e antiviral. Em caso de dores no corpo, tome uma colher de chá da tintura antes de dormir. Pode ser usada em conjunto com outras ervas de efeito antibiótico como hidraste canadensis ou o alho;
Ginseng: é uma erva muito forte e quente, combate fraquezas e resfriados. Não deve ser usado por pessoas muito yang com problemas de excesso de calor no corpo. O ginseng canadense é mais frio e suave.
Astrágalo: Também usado há centenas de anos pelos chineses, é um excelente tônico do sistema imunológico, agindo lentamente na medula óssea, ajudando a produzir glóbulos brancos. deve ser usado por pelo menos de seis a oito semanas para melhores resultados.
Alcaçuz: É um tônico eficaz para as glândulas supra-renais. Muito utilizado por herbalistas chineses. Não deve ser usado por quem tem tendência a pressão alta, pois pode causar perda de potássio e retenção de líquido.
Alho: Esse pequeno bulbo de cheiro forte, usado também há centenas de anos, é antiviral, antibactericida e antifungúngico. A maneira medicinal é ingerí-lo cru. Para amenizar seu bafo, mastigue algumas folhas de salsa ou hortelã. Não deve ser usado por quem tem problemas de fígado.
Cebola: Tem o efeito de aquecer o corpo, reduzir a coagulação e liminar gripes e resfriados. É um dos alimentos mais ricos em enxofre, um elemento que ajuda a remover metais pesados e parasitas, limpando as artérias, retardando o crescimento de vírus, fungos. Tem ainda o poder de inibir reações alérgicas, diminui o muco e faz suar.
Açafrão (curcuma longa): É muito utilizado na medicina ayurvedica. Além de digestiva, mantém a flora intestinal, reduz gases e tem propriedades refrescantes. Age como antibiótico, antifungicida e anticancerígeno, além de antiinflamatório.
Gengibre (Zingibar officinale): É antiinflamatório, reduz dores, além de ser um tônico do coração. Ajuda a dissolver mucos. Pode ser usado em forma de pó, chá ou como tempero. Tonifica rins e pulmões.
Pela aromaterapia, pode-se tomar como preventivo e curativo, o óleo essencial de limão, na dosagem de até 3 gotas diluída em uma colher de sopa de água ou mel. Seu óleo é obtido da casca da fruta, tendo o princípio ativo d-limoneno, importante anti-viral, bactericida, imunoestimulante, antisséptico e anti-tumoral. Outro óleo conhecido como imunoestimulante é o tea-tree (melaleuca alternifolia) que pode ser usado em massagens ou difusores.

Também para a prevenção da gripe comum, já chegou ao mercado a primeira vacina homeopática, aprovado pela Anvisa há pouco tempo, é produzido pelo laboratório homeopático francês Boiron. Vem em seis glóbulos, tomando-se um por semana, não tendo efeitos colaterais, podendo-se ministrar a crianças a partir de um ano de idade.

29 de julho de 2009

Exercite a sua visão


Você já parou para pensar que pessoas que trabalham ao ar livre à luz solar natural tem menos problemas visuais do que aquelas que trabalham confinadas dentro de quatro paredes expostas à luz artificial? E que é difícil ver algum pescador que use óculos? Pois é, isso ocorre porque a luz solar fortalece a retina. Quando ficamos expostos num ambiente mal iluminado, com luz artificial, nossas pupilas ficam cronicamente dilatadas para aproveitar a luz disponível. A partir daí, a exposição à luz solar pode se tornar dolorosa, pois os músculos ao redor dos olhos tenderão enrijecer, contraindo-se para impedir a entrada dolorosa dessa luz. Os óculos de sol funcionam como muletas e seu uso excessivo enfraquecem a habilidade natural dos olhos de enfrentar a luz.
Um dos exercícios mais importantes é o ato de piscar, pois descansa os olhos da luz e do trabalho de ver, ajudando ainda a emudecê-los. Não podemos nos esquecer que os nossos olhos também tem músculos e precisam ser exercitados.
Fatores que prejudicam a visão: estresse, má alimentação, iluminação inadequada, fumo, excesso de toxinas, bem como o ato de "não querer enxergar". Portanto, além do controle do extresse, procure incluir alimentos antioxidantes como vitamina A, E, luteína e zeaxantina (presentes em alimentos como gema de ovo, abóbora, couve, agrião e espinafre.
Uma maneira mais rápida de exercitar seus olhos é o uso do óculos terapêutico Yoga para os olhos com furos piramidais que estimula o nervo óptico, suavizando o impacto da imagem na retina, relaxando a vista. Esse óculos é vendido em mais de 50 países do mundo inteiro e foi desenvolvido através dos estudos do oftalmologista americano Dr. William Bates.
As principais indicações para o uso desses óculos são:
miopia, astigmatismo, hipermetropia, vista cansada, catarata, glaucoma, retinopatia diabética e estrabismo.

Para adquirir ou se desejar mais informações, contate-me através do email dgrecco73@yahoo.com.br.

19 de julho de 2009

Os benefícios do coco

É de conhecimento geral que o coco é utilizado com alimento em várias partes do mundo. O coco é rico em proteínas, vitaminas, gorduras, carboidratos e sais minerais. Segundo experiências realizadas nos Estados Unidos, o coco verde possui as mesmas propriedades do leite materno. No Havaí, as mães costumam alimentar os bebês com leite de coco. Por seu alto teor em sais minerais, o coco é recomendado na medicina popular para promover o desenvolvimento físico, além de ser largamente utilizado como remédio por suas propriedades medicinais. A polpa do coco amassada e transformada em pasta é utilizada em aplicações locais para o tratamento das hemorróidas, pois funciona como adstringente e cicatrizante. Alem disso, o coco é:
Antiinflamatório - A água e a polpa agem reduzindo as inflamações.
Aperiente - A polpa estimula o apetite.
Calmante - O leite de coco atua como sedativo leve.
Depurativo do sangue - A polpa comida regularmente desintoxica o sangue.
Diurético - A água atua como estimulante da função renal.
Febrífugo - A água e o leite reduzem a febre.
Mineralizante - A polpa tem essa propriedade por seu teor mineral.
Tônico - Se usado regularmente, fortalece o organismo.
Vermífugo - O leite de coco é usado principalmente contra as solitárias (tenífugo).
Diversos estudos publicados em periódicos médicos mostram que o coco, em várias de suas formas e componentes pode produzir uma larga escala de benefícios. Alguns deles são:
Tem efeito destrutivo em vírus causadores de influenza, herpes, sarampo, hepatite C, SARS (pneumonia asiática), AIDS e outras doenças infecciosas.
Tem efeito destrutivo na bactéria Heliobacter pilori, infeccções de garganta, urinárias, doenças gengivais etc. Tem efeito ainda em fungos e leveduras causadores de candidíase, micoses, freiras e outras infeccções.
Expulsa parasitas como solitárias, giárdia, piolhos e outros.
É fonte nutricional de energia rápida para o desempenho físico de atletas.
Reduz os sintomas associados à pancreatite.
Contribui para a remissão dos sintomas associados às doenças da vesícula biliar. Incrementa a digestão e o funcionamento intestinal.
O óleo de coco possui menos calorias que outros óleos vegetais.
Favorece a glândula tireóide.
Ajuda a reduzir os sintomas presentes na hiperplasia benígma da próstata.
Ajuda a reduzir as convulões epiléticas.
Não forma produtos danosos ou subprodutos perigosos quando submetido ao calor no cozimento em temperaturas corriqueiras, como outros óleos vegetais.
Promove a beleza e a saúde capilar.

O óleo de coco extra-virgem na cozinha

O óleo de coco conserva-se por longos períodos, sem necessidade de refrigeração ou da adição de produtos químicos.
Os óleos vegetais, principalmente os polinsaturados, como os da soja, milho, girassol, canola etc, sofrem alterações químicas e físicas que geram altos níveis de gordura trans no processo culinário. A vantagem das gorduras saturadas, como as do coco, porco e outras, é que são mais resistentes à oxidação e mais estáveis ao calor. A gordura da coco é de cadeia média, e ao contrário dos óleos polinsaturados, não deixa as células famintas, permitindo a entrada de insulina nas células.
O óleo de coco tem alto índice de ácido láurico, um poderoso antiinflamatório. Além disso, tem efeito cosmético, podendo ser aplicado nos cabelos como condicionador e sobre a pele para amenizar e reduzir as rugas existentes.

Fonte: Livro "O poder medicinal do coco e do óleo de coco extra virgem. Dr. Márcio Bontempo

6 de julho de 2009

Aspectos bioquímicos e nutricionais da criminalidade

"Você é o que você come" poderia ser um novo lema para a crescente evidência de que uma solução para os pensamentos violentos e os comportamentos criminosos pode estar na mudança de nossos hábitos alimentares cotidianos.
Um estudo realizado em grande escala - cujos resultados foram publicados na revista médica The British Journal of Psychiatry em 2002, testou 231 presidiários adultos jovens, com idades entre 18 e 21 anos, para comprovar a noção de que suplementos contendo vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais, poderiam reduzir a incidência de violência. Os suplementos incluíam ácidos graxos ômega-3, cromo e duas dúzias de vitaminas e minerais diferentes. Os prisioneiros foram submetidos a esse regime por 142 dias, e o número de incidentes disciplinares ocorridos entre eles foi comparado, durante esse período, a um outro grupo de controle da mesma instituição penal. Comparado ao grupo de controle, o grupo de prisioneiros que recebeu o suplemento alimentar registrou uma redução de 37% no número de incidentes tumultuosos, inclusive episódios violentos. Ficou claro, portanto, que a má nutrição tem um papel importante no desencadeamento da violência e do comportamento anti-social e agressivo. Nosso cérebros são engenhos metabólicos que correspondem a apenas 2% de nossa massa corporal; e contudo, consomem 20% dos nutrientes que ingerimos. Diante dessa informação, compreendemos que , caso as necessidades de nutrientes essenciais do cérebro não seja satisfeita, surgem distúrbios comportamentais e mudanças bruscas de humor.
Outros estudos comprovaram evidências de que a deficiência de zinco na dieta pode contribuir para a incidência de comportamentos criminosos entre jovens, porque o zinco é importante na produção de transmissores neuroquímicos no cérebro. O cádmio interfere na absorção e utilização do zinco pelo feto, o que pode continuar e aumentar após o nascimento, quando o bebê é exposto aos níveis de cádmio do ar ambiente. Portanto, existe uma relação entre cádmio e fumaça de cigarro e os problemas de comportamento e aprendizagem.O café é a segunda maior fonte de cádmio. Farinha branca refinada é outra fonte importante, porque o zinco protetor é removido dos grãos, enquanto o cádmio, no centro, permanece.
Fonte: Livro cem anos de mentira - como proteger-se dos produtos químicos que estão destruindo a sua saúde.
Mais informações também no site: http://www.taps.org.br/Paginas/violartigo10.html

1 de julho de 2009

Margarina - um mal fabricado pelo homem

Reproduzo aqui um artigo interessante extraído do site http://www.umaoutravisao.com.br/artigos/Alimentacao/margarina.html. Se você acha que margarina não faz mal, experimente deixa-la aberta fora da geladeira por alguns dias. Nenhum mosquito chegará perto, pois não tem nutriente nenhum.
"A margarina é um produto muito didático quando queremos avaliar de que forma o poder da indústria e da mídia ligada à ciência médica consegue fazer de um produto praticamente não alimentar algo que lota as prateleiras do supermercado e ainda consegue se fazer passar como elemento de incremento à saúde por proteger o coração, baixar taxas do mal falado colesterol (um elemento corporal incrivelmente demonizado, pois sua demonização atende ao capitalismo científico) e outras benesses.
Em primeiro lugar deve ficar claro que a invenção da margarina, não se deve a preocupação de encontrar um substituto mais saudável que a multissecular manteiga. Sua criação data de meados do século XIX (1869), época em que a discussão alimentar estava longe da vigília científica. Sua inspiração não poderia ser mais pragmática: encontrar um substituto mais barato que a manteiga, visto que o gestor deste desafio, Napoleão III lidava com grave crise econômica em suas fronteiras. Seu nome "margarités"(grego) significa cor pérola, e sua origem é do reino animal - uma mistura comprimida de gordura do sebo de vaca, leito desnatado, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de soda. (Como se sabe a manteiga é nada mais do que leite e sal - super artificial, não?). Em 1890, uma empresa americana começou a vendê-la em pacotes, embora uma família holandesa tenha sido a primeira fabricante para a Europa.
Os componentes da margarina tem se modificado com o passar do tempo, mas foi principalmente após a sedimentação da indústria química alimentar, que iniciou uma guerra santa contra a gordura saturada e os produtos de origem animal, que a margarina ganhou a composição mais próxima da atual, baseando-se em extratos oleoginosos vegetais. Seu processo atual inclui o uso de solventes de petróleo (geralmente o hexano, que é bem barato), ácido fosfórico, soda, que resulta numa substância marrom e mal cheirosa, que sofre novo tratamento com ácidos clorídrico ou sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel, que deixa o produto parcialmente hidrogenado. Resta então um produto de ótimo prazo de conservação, com textura firme mesmo a temperatura ambiente, que não rança, não pega fungos, não é atacado por insetos ou roedores. Enfim é um não-alimento.
O processo todo acaba por formar uma substância rica em um tipo particular de gordura chamado "trans", insólita na natureza e de efeitos nocivos para o homem, além disto, como é de conhecimento público o principal predicado da margarina é ser rica em óleos poliinsaturados, que hoje, já se sabe, contribuem para um grande número de doenças.
O Estado de São Paulo, já noticiou em 14/11/99, que a gordura da margarina causaria mais danos à saúde que a gordura saturada (segundo o FDA, órgão americano de fiscalização de alimentos e remédios). Em uma revista Exame, também de 99, saiu um artigo um pouco mais extenso e grave alertando sobre os perigos deste produto, e das implicações que as poderosas multinacionais americanas estavam sofrendo no próprio país por colocar no mercado produtos comparáveis ao cigarro em termos de periculosidade! (Mas que gera mais de 8 bilhões de dólares). Curioso é que a repercussão no Brasil é escassa. (Mas não é de se estranhar, afinal qual é a participação da soja no PIB brasileiro? ). Há uma farta literatura disponível para quem quiser se informar sobre isto em revistas de saúde e na Internet, produzida por estudantes sérios e descompromissados com os costumeiros patrocinadores de investigação técnica: laboratórios e indústrias químicas alimentares. Na França uma revista de informação - "L'Ere Nouvelle" - ganhou uma ação contra o sindicato dos produtores de margarina local, que a havia processado por publicar o artigo "A margarina e o Câncer".
Resumidamente, a margarina, pode estar relacionado a disfunções imunológicas, danos em fígado, pulmão, órgãos reprodutivos, distúrbios digestivos, diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento, problemas de peso, aumento no risco de câncer, e principalmente: transtornos do metabolismo do colesterol, incremento de ateroesclerose e doenças cardíacas. A margarina promove o que ela se propõe a tratar!
Não há dúvida: não há nada mais saudável que a boa e velha manteiga, que acompanha a humanidade há dezenas de séculos,pode ser feita artesanalmente no ambiente familiar, e só foi considerada nociva e politicamente incorreta após a revolução industrial, que também aqui conseguiu deformar nosso entendimento de saúde e bom senso."

21 de junho de 2009

Antitranspirantes e o câncer de mama

Muitos de nós já recebemos um e-mail que fala sobre a relação do uso de desodorantes com o câncer de mama. Essa mensagem é um tanto imprecisa, e muitas vezes parece ter um dom demasiado dramático, sem argumentação suficiente para que não pareça um reles "hoax" (embuste) da Internet.
No início de março de 2006, os sites de informação CBS News e o forbes.com traziam um novo artigo a respeito do assunto. Parece que agora as coisas começaram a ficar mais claras.
O problema dos antitranspirantes é a presença, na sua composição, de alumínio (cloridrato de alumínio), geralmente numa concentração de 25%. Foi descoberto que o alumínio pode imitar as ações do estrogênio, e como já está mais do que comprovado, as substâncias que imitam o estradiol estão relacionadas com a multiplicação e o crescimento de células do câncer de mama (entre inúmeros outros problemas de saúde para homens e mulheres, e para todas as espécies animais do planeta). Dessa forma, o alumínio pode ser mais um dos incontáveis xenoestrogênios encontrados nos produtos de consumo disponibilizados para a população. Os produtos de higiene e os cosméticos têm ainda um outro grupo de substâncias muito suspeitas que são os parabenos e seus derivados que costumam fazer parte de xampus, sabonetes líquidos, pomadas e cremes para pele, lenços higiênicos para nenês, perfumes, loções etc.
Esse artigo fala também do cádmio como agente que pode ter relação com o câncer de mama. O cádmio é um conhecido tóxico ambiental. É constituinte de baterias e pilhas comuns. O cádmio liberado de forma irresponsável no meio ambiente retorna para o ser humano através de inúmeros alimentos. No caso do câncer de mama é sublinhado que o cádmio é colocado para dentro do corpo da mulher pelo hábito de fumar. Obviamente a folha de tabaco não tem cádmio em sua constituição natural. Como quase todos os milhares de agentes tóxicos do cigarro, o cádmio está presente pela ação da industrialização na produção e manufatura do cigarro, e do papel branqueado que o envolve. (As campanhas públicas que demonizam o cigarro deveriam explicar o quanto o uso de agrotóxicos – e seus fabricantes, multinacionais de produtos químicos – estão envolvidos com os perigos de fumar, sendo tão, ou mais, responsáveis pelas doenças envolvidas com o tabagismo, quanto os fabricantes de cigarros).
O parabenos e seus derivados são encontrados nos tecidos de câncer mamário. Apesar disso, como costuma acontecer, os agentes oficiais (que deveriam testar e controlar o uso de substâncias potencialmente perigosas) costumam dar a resposta evasiva de que não há estudos concludentes a respeito desse grave risco. É uma maneira interessante de atuar. São disponibilizados milhares de produtos de consumo, com composições químicas novas, que depois de vendidas são testadas, aos poucos. Dessa maneira, podemos ter certeza de uma coisa: boa parte de belos produtos de empresas com respeito público estão sendo testados diretamente pelo público consumidor. Doenças graves e degenerativas têm múltiplas causas. As relações de causa e efeito são de difícil comprovação. Assim podemos estar expondo boa parte da população a situações de risco de forma inadvertida, pela simples crença atual de que tudo que o progresso tecnológico produz é seguro e confiável. Um dogma moderno construído na medida em que se abstrai o fato da ciência estar totalmente inserida na sociedade de consumo.
Há poucos anos o Enviromental Work Group – EWG (veja o site: www.ewg.org) admitia que somente 28 cosméticos comuns tinham todos os ingredientes totalmente testados, de um total aproximado de 7500 disponíveis!
O câncer de mama é uma doença comum dos tempos atuais. Há uma série de fatores que estão envolvidos. Infelizmente, sua prevenção está limitada ao diagnóstico precoce. Afinal de contas, se para evitarmos esse mal temos que fazer exames para descobri-lo precocemente, estamos diante de um hipócrita eufemismo, afinal prevenir deveria ser uma atitude para não se ter câncer de mama. Mas quais são as condutas sugeridas para não se ter tal enfermidade? Qual é a orientação que é dada ao grande publico para que se faça realmente prevenção? Quase nada. Há inúmeras instituições, cheias de boas intenções, que estimulam o auto-toque, ou facilitam o acesso aos exames, mas isso qualquer pessoa, mesmo com poucos recursos intelectuais, sabe que não é uma forma de evitar o câncer.
Segundo o livro “What your doctor may not tell you about Breast Câncer” do medico americano, infelizmente já falecido, dr. John R Lee, em associação com David Zava e Virginia Hopkins, essa doença é antes de mais nada fruto de um desequilíbrio hormonal. Esse desequilíbrio é denominado de Predominância Estrogênica. Ou seja: um desequilíbrio entre as ações do principal estrogênio, o estradiol em relação à progesterona. Atualmente há um excesso de ação estrogênica sob o organismo humano, que não encontra um saudável antagonismo protetor da progesterona. Esse excesso não é fruto somente do estradiol produzido endogenamente, mas também de inúmeros produtos químicos que se comportam como estrogênio – os já citados xenoestrogênios. Entre as milhares de fontes de xenoestrogênios temos os plásticos (isopor, PVC etc.), e inúmeros outros derivados de petróleo, muitos dos quais nas formas de agrotóxicos. O mais famoso agrotóxico, já proibido, que imita estrogênios é o DDT, usado trivialmente no Brasil até há bem pouco tempo atrás.
O excesso de ação de estrogênios, naturalmente, também é favorecido pelo uso de pílulas anticoncepcionais, que usam um produto sintético: o etinilestradiol. A predominância estrogênica das pílulas também é alcançada pela privação da produção de progesterona. Durante o uso de anticoncepcionais, o organismo não produz o corpo lúteo. Esse órgão é produzido ritmicamente no ciclo menstrual. É um importante liberador de progesterona endógena. Sem o corpo lúteo não há como haver produção de progesterona em quantidades fisiológicas. Durante todo o tempo que uma mulher ficar sob ação desse poderoso tipo de medicação, ela fica à mercê da predominância estrogênica e seus potenciais efeitos deletérios. Cabe salientar que as progestinas (substâncias químicas participantes das pílulas, como o gestodeno ou o levornogestrel) são quimicamente diferentes da progesterona (C21-H30-O2), e essas diferenças químicas não enganam a fisiologia humana, podendo levar a inúmeros e graves problemas de saúde.
Uma outra fonte de similares aos estrogênios está nos alimentos. Produtos obtidos da soja, que têm genisteína podem estimular o crescimento de células tumorais hormônio-dependentes, como o câncer de mama. (O leite de soja e a proteína de soja oferecem quantias inapropriadas dessa substância, entre outros antinutrientes, não sendo considerados alimentos saudáveis, devendo ser evitados). Alimentos em contato com plásticos aquecidos também podem fornecer quantias pequenas de xenoestrogênios. Comprar alimentos quentes em recipientes de isopor, no supermercado, por exemplo, pode ser uma péssima idéia.
Fatores como a falta de amamentação, escassez gestacional, cotidiano estressante, poucas horas de sono, sofrimento emocional, a resistência à insulina (pelo consumo inapropriado de açúcar e outros carboidratos), insuficiência da tireóide, flúor na água, também podem integrar o rol de fatores ligados às doenças da mama.
Voltando aos antitranspirantes, cabe ressaltar que há estudos que mostram que há uma relação entre um diagnóstico de câncer em idades mais jovens entre usuárias desse produto. Principalmente naquelas que fazem depilação antes da sua aplicação. (A depilação prévia pode provocar lesões e diminuir a integridade tecidual da pele nas axilas).
Para que as mulheres possam se proteger do câncer de mama elas devem ser informadas das causas do câncer. Há inúmeros fatores bem mais palpáveis e contornáveis do que a questão hereditária que nem é a mais importante. Infelizmente, nesse sentido, a mídia científica está em plena idade das trevas. Ou melhor: na idade dos exames de diagnóstico precoce, ou, mais exatamente, dos eufemismos tecnológicos. Em todo o caso, o negócio é evitar, na medida do possível tudo que imite estradiol, e com certeza os antitranspirantes.

(José Carlos Brasil Peixoto, 280406)
Referências:
Internet:
http://www.cbsnews.com/stories/2006/03/01/health/webmd/main1361403.shtml
http://www.forbes.com/lifestyle/health/feeds/hscout/2006/03/06/hscout531342.html
http://www.cancer.gov/cancertopics/factsheet/Risk/AP-Deo
http://www.ewg.org
Livros:
Lee, John R; Hopkins V.; Zava D. –“ What your doctor may tell you not about breast cancer”, Warner books, 2003; (impressionante livro em fase tradução por José Carlos Brasil Peixoto)
Colborn, Theo; Dumanoski, D; Myers, J.P.; – “O Futuro roubado”, LPM, 2002.

13 de junho de 2009

A arte de respirar

O primeiro ato de nossa vida é a respiração. É através dela que captamos a energia celestial. Além da função básica de nos manter vivos, células, tecidos e órgãos não podem trabalhar sem oxigênio. Através das narinas, dos brônquios e dos pulmões, o sistema respiratório dá vida e limpa toxinas e detritos de todo o corpo. Podemos ficar alguns dias sem comer e beber água, mas não conseguiríamos ficar sem respirar por muitos segundos.
Os pulmões são órgãos essenciais na respiração; eles promovem a troca gasosa contínua entre o ar inspirado e o sangue da circulação pulmonar, fornecendo oxigênio (O2) e removendo o dióxido de carbono (CO2). Infelizmente a maioria das pessoas não dão a devida importância a este ato de vida, respirando apenas com um terço da capacidade pulmonar que possui. Cerca de 70% das doenças poderiam ser evitadas se as pessoas respirassem corretamente, ou seja, profunda e usando o diafragma.
Você sabia que das substâncias desnecessárias ao corpo em média 70% saem via expiração, enquanto apenas 20% saem via pele, 7% pela urina e 3% via fezes?
O cérebro consome 25% do armazenamento geral de oxigênio de todo o corpo. O diafragma era considerado, pelos antigos gregos, como o assento da alma.
Respirar profundamente eleva o nível de oxigênio no sangue e combate a ansiedade. Um complexo sistema informa o cérebro quando todo o organismo está satisfeito de oxigênio, dissipando o medo de não sobrevivência e de inadequação. A forma como você respira é a forma como você se coloca no mundo; respirar de "peito aberto" dissolve tensões e medos e promove profundo bem-estar.
Pela Medicina Tradicional Chinesa, o PULMÃO é o primeiro sistema a ser afetado pelos agentes agressores externos, tas como VENTO-FRIO-CALOR-UMIDADE-FOGO e SECURA. O NARIZ é o órgão dos sentidos ligado ao pulmão e sua correspondência externa é a pele, portanto o Pulmão controla a pele e o QI DEFENSIVO (Wei Qi), ou seja, abertura e fechamento dos poros.

9 de junho de 2009

Durma bem e viva muito

Nada mais é salutar do que uma boa noite de sono. Não apenas tem efeito restaurador, beneficiando a mente e a vitalidade, como também é essencial para o funcionamento correto de determinados órgãos - o fígado, por exemplo, realiza a maior parte da desintoxicação à noite, enquanto dormimos. Para a medicina oriental, o sono ajuda a restaurar o yin (substância) e mantém o yang (função) sob controle. As doenças que caracterizam o esgotamento de yin e o excesso de yang são: baixa imunidade, distúrbios de humor, problemas digestivos, colesterol descontroladoe pressão alta.
Uma pesquisa demonstrou que pessoas que ficam acordadas durante 72 horas sofrem uma redução na produção de células sanguíneas brancas, a medida de nossa função imunológica. A privação crônica de sono também apressa o início da perda de memória e favorece o aparecimento de diabetes. Para garantir um sono repousante, crie rotinas e rituais que acalmam a mente. Eis algumas sugestões: banhos quentes, massagem nos pés, manutenção de um diário, meditação, aromaterapia, música relaxante, leitura de livros sobre espiritualidade, orações. A duração do sono ideal é de oito horas.
Fonte: Os segredos da longevidade - centenas de maneiras de viver bem até os 100 anos - Dr. Maoshing Ni.

31 de maio de 2009

A alimentação da mãe define o futuro do feto - II

Tudo que a mãe ingere influenciará na saúde e, também, na aparência física do feto.

O feto humano, enquanto está no líquido amniótico passa por um processo evolutivo semelhante aos dos animais aquáticos. Inicialmente, a boca é grande e parece estar rasgada e os olhos ficam localizados nas laterais da face. Depois, desenvolve-se o cérebro fazendo com que as laterais da face se projetem para frente, os olhos se locomovam para parte frontal da face, o nariz comece a se formar e a boca diminuir. É exatamente nesta etapa evolutiva que se forma um problema que é cada vez mais freqüente nos dias de hoje que é a formação dos lábios leporinos causados pelo suporte deficiente de nutrientes fornecidos pela mãe.

O reflexo da condição física da mãe não se limita a lábios leporinos. Podemos citar outros exemplos: Filhos com Síndrome de Down, filhos que nascem com nadadeiras entre os dedos, filhos com tendência a arritmia e, uma situação muito preocupante, filhos com prisão de ventre. A prisão de ventre infantil é provocada pela falta de rigidez do intestino que assim se formou por causa da alimentação desbalanceada da mãe. Falando-se em rigidez, observamos que há uma tendência, de forma generalizada, no aumento de crianças com falta de rigidez física. Em relação aos partos, percebemos, hoje em dia, que estes estão mais difíceis de acontecerem de forma natural porque os bebês estão cada vez maiores e os úteros cada vez mais flácidos. Vemos também que, nos últimos anos, aumentou o número de crianças que nascem sem ter o mínimo de força para chorar. O primeiro choro do bebê recém-nascido é extremamente importante pois, ao chorar, o bebê expele todas as substâncias que não mais necessita por estar, agora, respirando por vias aéreas. Além disso, o primeiro choro faz com que o corpo do bebê fique mais rijo e crie adaptabilidade para mamar.

Então, afinal, o que a mãe deve comer para gerar filhos com lábios firmes, rigidez física, órgãos perfeitos e saúde perfeita?

Na base da teoria da alimentação natural temos a lei das energias Yin e Yang. Alimentos com energia Yang têm efeito de contrair o corpo e as células e a energia yin de relaxar. São exemplos de alimentos com energia Yang a raízes cozidas e algas marinhas e exemplos de alimentos com energia Yin as frutas e doces. A alimentação ideal é aquela composta de alimentos com energia Yin e Yang de forma balanceada sendo que os menus compostos de cereais e verduras são os que atendem bem esta condição.

Devido às mudanças drásticas na alimentação percebemos que está ocorrendo uma redução muito grande na ingestão de minerais ao mesmo tempo em que ocorre o aumento de consumo de doces. Os doces (energia Yin) dificultam a absorção dos minerais formando um ciclo muito negativo. Para piorar, houve aumento no consumo de vegetais cultivados de forma não natural e alimentos preparados com aditivos químicos tornando o organismo das gestantes suscetível a problemas cancerígenos e ginecológicos.

No que concerne ao leite materno, nos primeiros três dias ele tem coloração amarelada onde contem uma substância que dá aos bebês a resistência para sobreviverem no novo ambiente. Após 3 dias o leite materno começa a branquear tornando-se um leite apropriado para promover o desenvolvimento do bebê como um ser humano saudável.

Interrompendo-se o aleitamento materno precocemente interrompe-se também o desenvolvimento natural do bebê, com comprometimento na constituição física, no desenvolvimento mental, no sistema imunológico levando-o a ficar propenso a resfriados, febres, alergias, etc. Para piorar, é administrado aos bebês que ficam sempre resfriados uma série de antibióticos que prejudicam grandemente o seu fígado e o seu intestino, gerando sucessivos problemas.

Por último, poderia acrescentar que, atualmente, as crianças acostumam desde cedo a consumirem alimentos ricos em aditivos químicos, gorduras e açucares. Estes alimentos contaminam o corpo, a mente e o espírito das crianças fazendo-as caírem em terrível ciclo vicioso.

Breve, publicaremos texto de Michio Kushi sobre alimentos com energia Yin e energia Yang.

28 de maio de 2009

A alimentação da mãe define o futuro do feto - Parte I

O comportamento destrutivo, a instabilidade emocional e a saúde frágil das crianças são problemas comuns que abrangem o mundo todo.

Gostaria de reforçar aqui a principal causa deste problema: as mães não estão comendo comida de gente. Parece ser uma afirmação polêmica, mas é fácil de entende-la. Quando as pessoas se alimentam com comida para seres humanos, tornam-se capazes de agir humanamente. Pensem bem. Não é lógico? Porém, o que ocorre é que, hoje em dia, as pessoas não estão agindo segundo esta lógica. Pode parecer ridículo acreditar que as pessoas se transformam naquilo que comem. Mas existem muitas provas para esta afirmação.

Tudo o que a mãe ingere durante o período de gestação reflete claramente no comportamento de seu filho após nascer. As mães que consomem muito leite e carne bovina têm filhos lentos. Filhos de mães que comeram muitos ovos e carne de frango, têm um comportamento irrequieto e assim por diante. É óbvio dizer que o feto de um ser humano possui genes humanos e está predestinado a se desenvolver e se tomar um ser humano. O que não é óbvio para a maioria das pessoas é a lógica de que quando o feto recebe alimentos que não foi feito para ele, o seu curso normal de desenvolvimento sofre interferência. A a alimentação das gestantes é uma questão muito séria pois é ela quem define o destino dos filhos.

Numa sala de aula pode-se observar crianças que não conseguem parar quietas como se fossem galinhas, já outras querem ficar deitadas a todo momento parecendo vacas, ou aquelas crianças que reagem a qualquer coisa, expressando seu caráter agressivo... Mesmo dentre os adultos, se você observar bem, vai se surpreender ao notar os padrões de comportamento deles.

O nascimento de uma vida humana é um fenômeno extremamente misterioso. Veja, um feto, enquanto está no ventre da mãe, tem sua massa aumentada em 3 bilhões de vezes desde a sua concepção até o seu nascimento, ou em 10 milhões de vezes, por dia. Em contrapartida, após o nascimento, esta proporção de aumento de massa de um bebê cai cerca de 20 vezes. Só por isso, já é possível imaginar o quanto importante é a alimentação da criança durante o período em que ainda está dentro do ventre da mãe. A ingestão de uma única aspirina pela gestante significa que o feto sofre os efeitos deste medicamento por cerca de 4 a 5 dias, no mínimo. Talvez vocês pensem que são somente 4 a 5 dias, mas atentem que durante este curto período o feto cresce de 4.000 a 5.000 vezes. São poucos os dias, mas significam para o feto um período precioso que deve ser encarado com muita importância. Lembre-se, um medicamento, um alimento, uma bebida ingeridos descuidadamente podem gerar resultados irreversíveis.

Os nutrientes absorvidos através da mãe são o que há de mais imprescindível para que processo evolutivo do bebê ocorra até o final, isso porque, mesmo que os nutrientes não tenham sido ingeridos de forma adequada e a evolução não ter sido completada, quando chegar o momento de nascer, a criança irá nascer.

É claro que as crianças que sofreram algum prejuízo durante o período em que estiveram no ventre da mãe, poderão ter uma vida normal após o seu nascimento se a sua dieta alimentar for adequada . Entretanto, quero destacar que é preciso um longo tempo para se corrigir alguns poucos dias vividos dentro do ventre da mãe em condições inapropriadas. Este tempo, tomando como exemplo os casos das crianças tratadas por mim, pode chegar a 10 até 15 anos .

(Breve será publicada a 2a. parte deste excelente texto escrito pelo mestre Michio Kushi)
Fonte: publicado no site http://www.anew.com.br/blog.php

23 de maio de 2009

A toxicidade do flúor

A opinião largamente difundida de que o flúor dissolvido na água da torneira é preventivo das cáries está muito longe da verdade e o fato alarmante demonstrado em pesquisas independentes e altamente fundamentadas é que o flúor produz mais danos do que benefícios. Vale a pena rememorar aqui certos fatos históricos ocorridos durante a II Guerra Mundial. Havia muito esforço do governo dos EUA, para ganhar a guerra, com a construção de aeronaves e a produção de alimentos, panelas e utensílios de alumínio para os soldados e toda a nação americana e aliados. É ponto pacífico que a indústria de alumínio e de fertilizantes desempenhou um marcante papel nessa fase de esforço bélico que demandou a colaboração da indústria com a nação americana. Havia entretanto, um obstáculo. A produção industrial do alumínio e dos fertilizantes produzia uma astronômica quantidade de fluoreto, um sal do flúor, um elemento natural, que, em mínimas quantidades age como contaminante na cadeia alimentar, mas que pode agir como um tóxico com maior potência do que o arsênico. Tanto o sal de flúor,o fluoreto de sódio , como o ácido fluorosilícico e contaminantes como o arsênico e o chumbo podem fazer parte dos dejetos industriais das citadas indústrias. Por falar nisso, o flúor já foi empregado outrora como inseticida e raticida. Vale dizer que as indústrias começaram a eliminar os dejetos com o flúor na atmosfera pelas chaminés, mas houve um grande impacto ambiental com danos em colheitas de frutas, doenças nas pessoas e no gado em fazendas da vizinhança, mortandade de peixes em rios da proximidade, o que deu ensejo a processos judiciais e vultosas indenizações exigidas das empresas pelos danos produzidos.
Um atentado à saúde pública do lobby da fluoretação.
Por pressão política o Serviço de Saúde Pública dos EUA(US Public health Service), subordinado ao Departamento do Tesouro Americano, então dirigido por Andrew Mellon, ninguém menos que um membro da família proprietária da ALCOA(Aluminum Company of América), fez um controverso estudo proclamando que 1 ppm de flúor na água(1 mg por 1 litro) reduzia a incidência de cáries em 60 % e assim foi proposta a fluoretação do abastEcimento de água das cidades americanas.Da noite para o dia, o preço do fluoreto de sódio, o mesmo produto usado como insetida e raticida e devendo ser descartado como dejeto industrial, subiu mais de 1000 % no mercado internacional e o problema de livrar o meio ambiente de um produto corrosivo e tóxico foi felizmente resolvido. O lobby difundiu a idéia para outros paises e contou até com a recomendação da Organização Mundial de Saúde.No entanto, certos paises, como a França, a Itália e a Noruega jamais aceitaram a fluoretação e outros como a Índia, já tinham experiência de efeitos danosos sobre a população suprida com água oriunda de solos ricos em flúor, que apresentava sinais inquietantes de envelhecimento precoce, com calcificação anômala óssea e degeneração dos ossos e articulações.
Danos para a saúde produzidos pelo flúor pelo aumento da ingestão da água fluoretada.
Cabe a pergunta? Qual é finalmente a utilidade do flúor? O que se sabia seguramente era o seu uso antigo como veneno para ratos e baratas. E no tocante á água fluoretada, recomendada pelo lobby do flúor , seria benéfica?. Ao contrário. Há sólida evidência, pelo menos, em oito rigorosos estudos , que o uso da água fluoretada como bebida e no preparo de alimentos, aumenta o risco de fratura do fêmur de 20 a 40 %, Por sinal, havia antes a suposição de que o flúor poderia ajudar a prevenir a osteoporose.No entanto, os estudos de observação prolongada revelaram em centenas de milhares de pessoas, sob cuidadoso controle, que o flúor aumenta a densidade do osso, mas o converte em uma estrutura anômala e frágil, sujeita a quebrar , sem maiores traumas ou provocações . É ponto pacífico que o flúor , um contaminante presente em pequenas quantidades na água tornou-se cada vez mais concentrado nos alimentos e nas bebidas e a partir de 0,60 ppm(0,60 mg por L), torna-se cumulativo, concentrando-se preferencialmente na tireóide , nos ossos e nos rins.Produz de maneira disseminada um hipotiroidismo , já descrito desde 1854, geralmente atribuído a outras causas, e além disso, causa degeneração óssea e articular sobretudo nas pessoas idosas. O flúor como um tóxico conhecido, inibe várias enzimas e interfere com a síntese do colágeno, a principal proteína do organismo, sendo considerado um fator de envelhecimento.
Ação tóxica de flúor em diversos órgãos e sistemas.
Mediante a inibição de várias enzimas, o flúor pode comprometer o funcionamento intestinal particularmente agindo sobre a digestão que se torna lenta, com flatulência e distensão abdominal. Esse efeito também é decorrente do hipotiroidismo que acompanha a presença do flúor em quantidade cumulativa na cadeia alimentar. Igualmente, por interferência das enzimas necessárias à função cardiovascular, e também pela deficiência tireóidea , há maior ocorrência de morbiletalidade cardíaca nas comunidades supridas com água fluoretada. Vale lembrar que enquanto nos EUA, a fluoretação é um programaadotado pelas municipalidades sob a influência do lobby, que implantou o método em 75 % das cidades norteamericanas, no Brasil o programa de fluoretação compulsória abrange todas as cidades brasileiras sob a forma de uma intervenção terapêutica em massa, o que é inadmissível, em se tratando de um processo altamente controverso já banido em quase todo o mundo nos paises que dispõem de legislação sanitária e proteção ambiental atuantes. Além disso, estudos emergentes têm demonstrado a ação do flúor em lesar o sistema imunitário, abrindo a trilha para o surgimento de doenças auto-imunes tais como artrite reumatóide, lupus, tiroidite de Hashimoto, vitiligo,etc. Na sua condição de veneno protoplásmico, também interfere com a molécula do DNA, onde causa danos, e torna-se um fator indutor do câncer, pela incapacidade do organismo proceder o sistema de reparo do DNA, que depende da integridade da cadeia enzimática do genoma. O organismo perde a capacidade de reparo do DNA, ou seja, fica comprometida a correção dos defeitos do DNA, que ao longo da vida acontecem, o que pode levar ao câncer, sobretudo da tireóide, da boca, da pele, da bexiga, da próstata e da mama e dos ossos,sendo que essa última patologia pode ocorrer nas crianças e nos jovens.
Fonte: recebido via email.
Livro: 100 anos de mentira como proteger-se das ameaças químicas que estão destruindo a sua saúde.

17 de maio de 2009

Dieta sem carne e rica em B2 pode regredir o Mal de Parkinson

A doença do Parkinson é uma alteração do sistema nervoso central que afeta principalmente o sistema motor. O envelhecimento precoce das células provoca tremores, rigidez muscular e alterações da postura. Outras manifestações não motoras também podem ocorrer, como o comprometimento da memória, depressão e alterações do sono. Estudos revelam que portadores da doença apresentam deficiência da vitamina B2 e ingerem muita carne vermelha. Segundo um estudo realizado com um grupo de 30 pessoas, coordenado pelo Dr. Cícero Galli Coimbra, apresentado no 6º Congresso Internacional sobre a doença de Alzheimer e Parkinson, em Sevilha, a inclusão de vitamina B2 e a retirada de vez da carne vermelha fez que com que os pacientes verificassem não apenas a estagnação da doença como também sua regressão. Os melhores resultados foram encontrados em pessoas que estavam no início da doença. A recuperação motora dos pacientes saltou de 44% para 70%, em apenas três meses. A restrição à carne vermelha faz sentido, pois ela tem muito ferro e seu excesso é prejudicial pois oxida-se as células.

11 de maio de 2009

Tea Tree (óleo de Melaleuca)

O óleo essencial de Tea Tree (melaleuca alternifolia) pertence à família botânica Myrtaceae e tem origem na Austrália. Tem como propriedades de ser antibiótico, antifúngico, antiinfeccioso, antiviral, antibacteriano, anti-séptico, imunoestimulante (aumenta os leucócitos), descongestionante da circulação e para purificar água e alimentos. Atua nas infecções dos sistemas genito-urinário, respiratório e otorrinolaringo, candidíase, piolhos, sarna, herpes e micoses. É usado há muitos anos na Austrália, desde os aborígenes, tendo sido usado também na segunda guerra mundial, substituído antibióticos e curado inúmeros soldados. É bem eficaz contra bactérias gram-positivas, bem como foi comprovado em vários testes laboratoriais que vírus e bactérias não conseguem desenvolver resistência ao óleo.
Algumas formas de uso:
Nas micoses de unha: pode ser usado puro, geralmente uma gota, três vezes ao dia. Pode-se associar com óleo de cravo para potencializar seus efeitos.
Aftas, gengivites e dor de dentes: 2 gotas do óleo essencial num copo de água e fazer bochecho.
Nas candidíases, herpes, frieiras e acne, pode-se usar em forma de gel de 2% a 5%.
O uso interno é recomendado em casos de cistite, otite, amidalite e infecções em geral, podendo-se tomar de duas a três gotas três vezes ao dia. Não usar por mais de uma semana sem indicação médica.

10 de maio de 2009

A geléia real - um poderoso alimento

A geléia real é produzida pela abelhas para servir de alimento exclusivo para abelha mestra, a qual cresce e dura muito mais do que as outras abelhas. É um super alimento, composto de vitaminas do complexo B, aminoácidos, fósforo, substâncias antibióticas e sais minerais. Atua de maneira notável em esgotamentos e em depressões, alergias, artrite, anemias, leucemia e raquitismo. Rejuvenesce a pele e o organismo, é cicatrizante, revigorante, eliminando o cansaço mental e físico. Normaliza o sistema endócrino, possui componentes anticancerígenos, é boa para problemas digestivos, cardiovasculares, para a doença de Parkinson, tuberculose, além de promover a longevidade, entre muitos outros benefícios. Deve ser usada ao natural, sem misturas, pois ao misturá-la, seja em casa ou em produtos comprados, ela perde as suas propriedades. Deve ser consumida imediatamente após ser retirada da colméia ou congelada, o que prova que os produtos vendidos no comércio na maioria das vezes não tem valor algum. Devido à pequena quantidade retirada da colméia, o seu preço é relativamente alto. Usa-se em média 1 a 2 g (1 colher de cafe rasa) em baixo da língua até dissolver, uma a três vezes ao dia, em jejum ou 30 minutos antes das refeições. Pode ser usada sobre a pele, aplicada a noite toda, para diminuir manchas, acne e rugas.

4 de maio de 2009

Evite a dor sem efeitos colaterais

Muitas vezes quando há dor, as pessoas geralmente recorrem às pílulas farmaceuticas para terem alívio imediato do incômodo, porém se esquecem de que podem ter efeitos colaterais, além de não resolver a causa do problema. Os remédios antiinflamatórios alopáticos abaixam o nosso sistema imunológico, além de contribuir para a elevação da pressão sanguínea. O corpo emite sinais o tempo todo, mas o homem está cada vez mais distante da natureza e de sua essência. Na Universidade da Califórnia em Davis, conselheiros do Centro de Controle da Dor ensinam os pacientes como aliviar os sintomas de seus sofrimentos utilizando vizualizações orientadas, respiração profunda, ioga, meditação, hipnoterapia, acupuntura e outras técnicas naturais de relaxamento, isso porque com o controle do medo, ansiedade, o nosso corpo produz substâncias químicas anestésicas. O pensamento positivo pode ser tão poderoso quanto uma injeção de morfina para o combate à dor, concluíram os pesquisadores. Um método ainda mais espantoso de aliviar a dor naturalmente foi revelado através de pesquisas efetuadas no Lister Hospital, em Londres. Uma mulher de 46 anos de idade foi hipnotizada e submetida a uma cirurgia mamária sem anestesia geral. Ao término do procedimento, ela declarou: "O cirurgião plástico estava cortando e costurando meu corpo, mas eu não senti absolutamente nada". Diferentemente de suas experiências anteriores com analgésicos, ela não experimentou náuseas ou efeitos colaterais da hipnose. As drogas anestésicas inibem a capacidade natural de constrição dos vasos sanguíneos quando incisões são feitas no corpo, enquanto a hipnose permite permite que a constrição dos vasos ocorra naturalmente, reduzindo a perda de sangue.
Fonte: maior parte extraído do livro "Cem anos de mentira. Autor: Randall Fitzgerald.

27 de abril de 2009

Chicória para um coração forte

A chicória é uma erva comestível que também pode ser torrada e moída para substituir o café. A chicória contém um polissacarídio chamado inulina que é útil na prevenção e no tratamento de insuficiência cardíaca. Estudos mostraram que ela pode diminuir o ritmo do batimento cardíaco e o nível do colesterol ruim, além de retardar o endurecimento das artérias. Assim, além de manter um dieta rica em fibras e com pouca gordura, tome chá de chicória para manter o coração firme e forte.
Fonte: Os segredos da longevidade, centenas de maneiras de viver bem até os 100 anos. Autor Dr. Maoshing Ni.

19 de abril de 2009

Aprenda a combinar os alimentos na hora de comer

Um dos assuntos mais importantes, freqüentemente negligenciado, é a ideal combinação daquilo que ingerimos. Comumente, geramos gases e substâncias irritantes e perigosas ao utilizarmos vários tipos de nutrientes no mesmo prato. O caso do "arroz com feijão" é clássico, pois eles representam dois amidos que não se combinam bem quimicamente. A macrobiótica ortodoxa é prejudicial bioquimicamente quando vários cereais, mesmo sendo integrais, são ingeridos na mesma refeição. O ideal é utilizar apenas um tipo de cereal, várias verduras, uma leguminosa recém-cozida e em pequena quantidade, eventualmente uma fruta que tenha afinidade com os produtos anteriores, possivelmente uma proteína de origem animal ou vegetal etc..
Para melhor orientação, apresentamos a seguir uma tabela de alimentos como guia importante para que se mantenha o organismo leve e saudável, sem flatulência e material químico danoso:
Grupo A - Alimentos que combinam entre si e com mais um dos Alimentos do Grupo B (consumo de vários alimentos por refeição)
carnes, abóbora, agrião, pepino, castanha do pará, brócolis, mostarda verde, rabanete, ovos de aves, chicória, beterraba, salsa, manteiga, pimentão, azedinha, serralha, azeite, cogumelos, almeirão, taioba, nozes, missô, abobrinha, tomate cru, amêndoas, shoyu, acelga, urucum, avelãs, vagem, alho, aipo, abacate, espinafre,alho poró, beringela,frutos do mar, couve, cardo, funcho, gergelim, couve flor, umeboschi, cebola, cacau, nabo, bertalha, jiló, pinhão, nabiça, caruru chuchu, coco seco, milho verde,ervilhas frescas,castanha de caju, quiabo, algas marinhas, azeitonas, repolho, palmito fresco, alcachofras, alface, feijão verde, cenoura e aspargos Grupo B - Alimentos que não combinam entre si (consumo de apenas um alimento por refeição)
arroz, cará, araruta, tahine, macarrão, fruta pão, centeio,lentilhas, trigo e derivados, castanha do natal, cevada, ervilhas secas, batata inglesa, farinha de mandioca, cevadinha, trigo sarraceno, batata doce farinha de milho, grão de bico, mandioquinha, aipim, milho seco, feijão seco, queijo de soja,inhame, aveia, soja seca, leite de soja. Grupo C - Alimentos que combinam entre si e com mais um dos Alimentos do Grupo B e também com os Alimentos do Grupo A (desde que não sejam preparados em gordura ou similares)
laranja lima, maçã (doce), abricó, açúcar em geral, lima, ameixas doces, queijos frescos, sapoti, banana assada,figos frescos,requeijão, fruta do conde, banana cozida,tâmaras,queijo de minas,melão, banana seca,moyashi, queijo prato, melancia, uva moscatel, coco verde, ricota, jaca, mamão, mel de abelhas, café comum, pêras (tipo doce), caqui, melado, café de cevada, goiaba e ingá Grupo D - Alimentos que não combinam entre si nem com outros Alimentos
abacaxi,cereja, laranja ácida, romã,caju,carambola, mangaba, pêra ácida, maracujá,framboesa, damasco,pitomba,tangerina, grape-fruit, morango, toranja, ameixa ácida, graviola, limão, jambo,araçá, pêssego, maçã ácida, uva ácida,bacuri, jabuticaba, nêspera, coalhada,araticum, jenipapo, pitanga, cajás, manga, cidra, marmelo e tamarindo. Grupo E
Banana Crua é Compatível com:
leite, creme de leite, queijos,laranja-lima, mamão, melão, melancia pêras, figos frescos, maçã, caqui, sapoti,ameixas,uvas moscatel, e todas as frutas do grupo c Banana Crua é Incompatível com:
Mel de Abelhas Melado, Caldo de Cana, Açúcar em Geral, Frutas Ressecadas, Abacate, frutas Oleaginosas, Manteiga, Azeite, Óleo e gorduras em Geral Com os Alimentos do Grupo B - Grupo F
Leite Animal é Compatível com:
Alimentos do Grupo B Banana Crua ou Assada Gema de Ovo Cozida Com seus Derivados (exceto os seus Derivados citados Abaixo) Leite Animal é Incompatível com:
Alimentos do Grupo A Abacate, Frutas Oleaginosas Óleos e gorduras Frutas Secas Frutas Frescas Coalhada, Iogurte e outras formas de Coalho, Açúcar em Geral, Clara de Ovo, Alimentos Doces, Azeitonas, Carne de Qualquer Espécie Grupo G
Creme de Leite é Compatível com:
Alimentos do Grupo B *Abóbora (Madura)*Abacate Banana Crua ou Assada *Leite e Derivados *Gema de Ovo *Maçã Crua ou Assada *Frutas Oleaginosas Verdes Creme de Leite é Incompatível com:
Verduras, frutas doces e ressecadas, frutas oleaginosas secas, óleos e gorduras, carnes, clara de ovo, suco de maçã e Manteiga Observações:
1 - Gema de Ovo crua ou cozida, coco verde, levedo de cerveja, café e várias qualidades de chá são compatíveis com qualquer alimento, por serem considerados neutros.
2 - O pão para ser menos fermentável, deverá ser feito com farinha pura ou integral e ingerido 24 horas após sua fabricação, em torradas ou aquecido no forno.
3 - Para que os alimentos não entrem em conflito químico, é rigorosamente necessário que se mantenha um espaço mínimo de 4 (quatro) horas e meia de uma refeição para outra.
4 - Não fazer uso de fruta após às 18:00 horas.
Fonte: Dr.Marcio Bontempo