23 de dezembro de 2014

Dr. Lair Ribeiro - Envelhecer sem ficar velho parte 2

16 de novembro de 2014

Óleo de Ólibano





O Olíbano é uma árvore pequena ou arbusto com muitas folhas plumosas e pequenas flores brancas ou cor-de-rosa. Ele produz uma goma-resina. O óleo essencial é obtido da resina. Tem um cheiro balsâmico adocicado e é frequentemente queimado nas igrejas para propiciar a meditação e a prece. Segundo a bíblia, o olíbano, aliado ao ouro e à mirra, foram presentes dados a Jesus, embora devesse se tratar da resina e  não do óleo essencial que conhecemos hoje. Ele é usado como incenso na Índia e na China, sendo tradicionalmente queimado como uma oferenda aos deuses. Também é empregado como fixador na perfumaria. Existem relatos de casos em que o olíbano foi utilizado para aliviar a dor associada à artrite. Ele equilibra as emoções, produzindo uma maravilhosa sensação de serenidade.

Parte utilizada da planta: Gotas de goma-resina
Família botânica: Buseraceae
Processo de extração: Destilação a vapor. Um absoluto também é produzido.
Principais componentes químicos: Monoterpeno, hidrocarbonetos, tujona e acetato de octila.
País de origem: Omã, Somália, Etiópia e China. A goma-resina é geralmente destilada na Europa e na ìndia.
Nota: de fundo: Alta
Combina bem com Gerânio, Grapefruit, Lavanda, Laranja, Melissa, Patchuli, Pinheiro, Rosa e Sândalo.
Propriedades: Anti-inflamatório, antisséptico, citofilático e expectorante.

Indicações terapêuticas mais comuns

Problemas de pele: pele madura ou seca, cicatrizes e manchas.
Ação: Citado como estimulante de regeneração celular e também como auxiliar  no tratamento das estrias.

Sistema respiratório: Asma, bronquite, catarro, tosse, laringite e falta de ar.
Ação: Um bom óleo pulmonar, de modo que favorece a respiração e também ajuda o sistema imunológico a combater gripes e resfriados.

Sistema nervoso: Ansiedade, raiva, tensão nervosa e insegurança.
Ação: Desacelera e aprofunda a respiração, de modo que é citado como tendo propriedades de limpeza e purificação que ajudam a mente a liberar os bloqueios emocionais. Muito útil na meditação.

Segurança: Não é tóxico, irritante e nem sensibilizante. Não deve ser usado em mulheres grávidas durante o primeiro trimestre de gestação.

Referências bibliográficas: Guia Completo de Aromaterapia, Hoare Joanna, Editora Pensamento
Créditos da imagem: aromasdani.blogspot.com

16 de agosto de 2014

Os benefícios da água oxigenada que ninguém te conta

A água oxigenada e seus inúmeros benefícios: branquear os dentes, eliminar manchas de pele, tratar resfriados e sinusites...

Antes de tudo, a água oxigenada a ser usada é a de 3% de peróxido de hidrogênio, isto é, a água oxigenada volume 10.
E é importante usar uma marca sem conservantes, como a RioQuímica.
A água oxigenada foi desenvolvida na década de 1920 por cientistas, para conter problemas de infecções e gangrena em soldados da Primeira Guerra Mundial.

Numa solução a 3%, é um dos mais potentes desinfetantes que existem.

Isso é pouco divulgado e pode-se entender o motivo.

Um produto barato e simples de usar concorre com outros desenvolvidos por laboratórios farmacêuticos e indústrias de desinfectantes domésticos e hospitalares.

Portanto, não existe interesse comercial no seu uso em larga escala.

O que se pode fazer com a água oxigenada:

- Uma colher de sobremesa de água oxigenada 10 volumes, usada para bochechos e mantida na boca por alguns segundos, mata todos os germes bucais, branqueando os dentes! Cuspir após o bochecho.

- Manter escovas de dentes numa solução de água oxigenada conserva as escovas livres de germes que causam gengivite e outros problemas bucais.

- Um pouco de água oxigenada num pano desinfeta superfí­cies melhor do que qualquer outro produto. Excelente para usar em cozinhas e casas de banho (banheiros).

- Passada nos pés, à noite, evita problemas de frieiras e outros fungos que causam os principais problemas nos pés, inclusive o mau cheiro (chulé).

- Passada em ferimentos (várias vezes ao dia) evita infecções e ajuda na cicatrização. Os casos de gangrena regridem com o seu uso.

Para manchas no rosto, use água oxigenada. Todas as noites, quando for dormir, molhe um algodão com ela e passe na mancha que você deseja eliminar. Se você for constante no tratamento, vai ver ótimos resultados.

- Numa mistura meio a meio com água pura, pode ser pingada no nariz em resfriados (constipações) e sinusites. Esperar alguns instantes e assoar o nariz. Mata os germes e outros microrganismos nocivos.


- Cinco gotinhas em cada ouvido impedem o aparecimento de gripes e outros problemas respiratórios. Basta pingar as gotas em um ouvido e esperar cinco minutos. Depois, repetir o procedimento no outro ouvido.

A água oxigenada também é útil para remover o tártaro dos dentes: escovam-se os dentes, de vez em quando (há quem o faça todos os dias), com a escova molhada em água oxigenada e o tártaro vai desaparecendo. 
 
- See more at: http://www.curapelanatureza.com.br/2013/07/a-agua-oxigenada-e-seus-inumeros.html#sthash.HwI88s1S.dpuf

14 de julho de 2014

A soja está aumentando a população gay?

Como estes temas que estou trazendo são completamente novos para a grande maioria das pessoas e muitos deles são assustadores pelas possíveis consequências para nossas vidas, vou anexar mais este que por certo é extremamente polêmico e vai levantar muitos ânimos prós e contras.
É um texto do pastor americano James Rutz que fez um alerta: a soja está produzindo “gays endócrinos“, ou seja, o excesso de isoflavonas que os bebês recebem, até mesmo durante sua formação gestacional, poderia estar associada ao aumento de jovens gays pelo mundo afora.
Como a questão da homossexualidade é um tema ainda controverso e cada um tem a sua opinião, este texto está sendo colocado aqui apenas para trazer o tema à tona e possibilitar o seu questionamento, análise e novas pesquisas.
O texto inicial se intitula: “Soy is making kids ‘gay”, ou “A soja está fazendo crianças gays“. Vamos, então, ao texto:

“Existe algo que está lentamente envenenando e prejudicando gravemente nossos filhos e ameaçando estraçalhar nossa sociedade. A parte irônica é que é um ‘alimento saudável’, um dos mais populares.
Ora, sou um cara adepto de alimentos saudáveis, um fanático que raramente permite na cozinha qualquer alimento que não seja orgânico. Declaro aqui que tenho preferência por alimentos naturais, de modo que você saberá que não sou contra os alimentos saudáveis.
O perigoso alimento sobre o qual estou falando é a soja. Os produtos de soja são feminizadores, e estão em toda parte. Não dá mais para escapar deles.
 Não tenho nada contra um lanche de soja de vez em quando. A soja é nutritiva e contém muitas coisas boas. Entretanto, infelizmente, quando comemos ou bebemos muitas coisas de soja, estamos também ingerindo quantidades significativas de estrógenos.
 Estrógenos são hormônios femininos. Se você é mulher, você está inundando seu sistema com uma substância com a qual, em excesso, o seu sistema não conseguirá lidar. Se você é homem, você está suprimindo sua masculinidade e estimulando seu ‘lado feminino’, tanto física quanto mentalmente.
No desenvolvimento fetal, o padrão normal é ser feminino. Todos os seres humanos (até mesmo na velhice) tendem para com a feminilidade. A principal coisa que impede os homens de se desviarem para o modelo feminino é a testosterona, e o excesso de estrógeno suprime a testosterona.
Se você é adulto, você já se desenvolveu, e tem condições de combater alguns dos efeitos prejudiciais da soja. Os bebês não têm tanta sorte. As pesquisas agora mostram que quando você alimenta seu bebê com alimentos de soja, você está dando a ele o equivalente a cinco pílulas anticoncepcionais por dia. O sistema endócrino do bebê simplesmente não consegue lidar com esse tipo de agressão em massa. Por isso, é inevitável que o bebê sofra alguns danos. Na pior das hipóteses, os danos podem ser fatais.
A soja é feminizadora, e comumente leva a uma diminuição no tamanho do pênis, confusão sexual e homossexualidade. É por isso que a maior parte da culpa médica (não sócio-espiritual) do aumento hoje de homossexualismo está no aumento de leite de soja para bebês e outros produtos de soja. (A maioria dos bebês são alimentados por mamadeira durante alguma parte de sua infância, e um quarto deles recebe leite de soja!) Os homossexuais muitas vezes argumentam que a homossexualidade deles é inata porque ‘eu não consigo lembrar de uma época em que eu não era homossexual’. Não, a homossexualidade é sempre um desvio sexual. Mas agora muitos deles podem, com toda a verdade, dizer que eles não podem se lembrar de uma época em que o excesso de estrógeno não os estava influenciando.
Os médicos comumente esperavam que a soja reduzisse os efeitos da menopausa (calorão), impedisse o câncer e as doenças cardíacas e salvasse milhões de vidas da fome no Terceiro Mundo. Isso foi antes que eles soubessem mais coisas acerca do uso da soja por um longo período. Agora sabemos que ela é um exemplo clássico de uma cura que é pior do que a doença. Por exemplo, se seu bebê tem cólica pelo leite de vaca, você muda o alimento dele para leite de soja? Nem mesmo pense nisso. O nível de fitoestrógeno dele subirá 20 vezes o normal. Se o bebê for menina, prepare-se para observá-la alcançar o início da menstruação aos sete anos, roubando anos da infância dela. Se for menino, é bem pior: Ele demorará muito mais do que o normal para chegar à puberdade.
Uma pesquisa realizada em 2000 mostrou que uma dieta com base na soja em qualquer idade pode levar a uma tiróide fraca, que comumente produz problemas cardíacos e excesso de gordura. Será que isso poderia explicar o aumento dramático de obesidade hoje?
Pesquisas recentes em ratos mostram atrofia testicular, infertilidade e hipertrofia (aumento) do útero. Isso ajuda a explicar a epidemia de infertilidade e crescimento repentino de clínicas de fertilidade. Mas o que é triste é que ao se tornar adulto e querer se casar, será tarde demais para o bebê que foi prejudicado pela soja ser tratado por uma clínica de fertilidade.
Pior, há agora evidências científicas de que os ingredientes do estrógeno nos produtos de soja podem estar aumentando rapidamente a incidência de leucemia nas crianças. No ano mais recente, novos casos de leucemia pularam para 27 por cento. Em um ano apenas!
Há também uma conexão séria entre soja e câncer em adultos – principalmente câncer de mama. É por isso que os governos de Israel, Inglaterra, França e Nova Zelândia já estão adotando medidas bem duras contra a soja.
Em contraste triste, 60 por cento dos alimentos refinados nos supermercados americanos agora contêm soja. Pior, o uso da soja poderá duplicar nos próximos anos porque os burocratas médicos da Vigilância Sanitária dos EUA estão considerando permitir que os fabricantes de cereais, barras energéticas, leite de soja, iogurte de soja, etc. anunciem que ‘a soja impede o câncer’. Não impede.
 

21 de fevereiro de 2014

Óleo essencial de Pimenta Rosa



(Schinus terebinthifolius)      
Sinônimos: Pimenta rosa, pimenta vermelha, aroeira vermelha, pimenta brasileira, aroeira mansa.
          A aroeira-vermelha é nativa do Brasil.  A pequena semente do fruto da aroeira-vermelha, redondinha e lustrosa inscreve-se entre as muitas especiarias existentes e que são utilizadas essencialmente para acrescentar sabor e refinamento aos pratos da culinária universal.
          O sabor suave e levemente apimentado da aroeira-vermelha, bem como sua bonita aparência, de uso decorativo, permite o seu emprego em variadas preparações, podendo ser utilizada na forma de grãos inteiros ou moídos.  Introduzida na cozinha européia, com o nome de poivre rose (pimenta-rosa) a aroeira-vermelha acrescentou um gostinho tropical à nouvelle cuisine. Seu óleo essencial pode ser diluído em torno de 10 gotas para cada 100ml de azeite de oliva extra-virgem para dar um sabor todo especial a carnes, molhos e saladas, por não abafar o seu gosto sutil.
           O fruto contém mais de 5% de óleo essencial e as folhas mais de 2%. 
         Em testes laboratoriais, o óleo essencial, assim como o extrato das folhas demonstra uma poderosa ação anti-fúgica contra numerosos fungos como a Candida albicans. O óleo essencial e as folhas clinicamente têm demonstrado atividade antibacteriana e antimicrobial em um grande número de bactérias e patógenos em numerosos estudos.
          Em 1996, uma patente americana foi criada para um produto feito com o óleo essencial de aroeira brasileira (pimenta rosa), como um remédio tópico de ação bactericida utilizado contra Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus para seres humanos e animais (um preparado para ouvido, nariz e peito). A mesma companhia criou uma outra patente em 1997 para um preparado similar usado para limpeza de pele e de ação anti-bactericida. Em muitos estudos invitro, extratos de folha da aroeira brasileira demonstram ação antiviral contra vírus de plantas e apresentam ser citotóxicos contra nove tipos de câncer.
      O óleo essencial (das folhas e frutos) é indicado em problemas circulatórios como varizes, hemorróidas e entupimento vascular. É eficaz em micoses, candidíase (uso local) e alguns tipos de protozoários intestinais. Possui ação regeneradora dos tecidos, sendo útil em escaras, queimaduras, dermatites, psoríases e outros problemas de pele. Tem ação cardiotônica (regula a arritmia e hipertensão, fortalecendo o coração).
          Externamente, o óleo essencial utilizado na forma de loções, gels ou sabonetes, é indicado para limpeza de pele, coceiras, espinhas (acne), manchas, desinfecção de ferimentos, micoses e para banho.
Uso local puro ou em gel (3-6%). Uso interno de 3 gotas 3 X ao dia. Contra-indicações: Gravidez (estimula o útero) e hipotensão.

Fonte: Laszlo


22 de janeiro de 2014

Tomar sol reduz a pressão arterial e reduz risco cardíaco

Há algum tempo, médicos e cientistas vêm alertando para o que parece ser uma radicalização na propaganda e no uso dos filtros solares.
Esse exagero no uso de filtros solares está causando deficiência de vitamina D na população, um problema que parece ser particularmente grave entre os jovens brasileiros.
Agora se comprovou que a exposição da pele à luz solar, mesmo quando não atua diretamente na sintetização da vitamina D, ajuda a reduzir a pressão arterial e o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

"Pode ser um momento oportuno para reavaliar os riscos e os benefícios da luz solar para a saúde humana e reconsiderar as atuais recomendações de saúde pública." [Imagem: University of Southampton]
Sol, óxido nítrico e coração
Pesquisadores das universidades de Southampton e Edimburgo (Reino Unido) descobriram que a luz solar altera os níveis de uma pequena molécula mensageira, o óxido nítrico (NO), na pele e no sangue, reduzindo a pressão arterial.
É bem documentado que a pressão arterial e as doenças cardiovasculares variam de acordo com a época do ano e a latitude, com níveis mais elevados observados no inverno e em países mais distantes do equador, onde a radiação ultravioleta do sol é menor.
"O óxido nítrico, junto com os produtos dele derivados, que são abundantes na pele, está envolvido na regulação da pressão arterial. Quando expostas à luz solar, pequenas quantidades de óxido nítrico são transferidas da pele para a circulação, diminuindo o tônus dos vasos sanguíneos. Assim a pressão arterial cai, o mesmo acontecendo com o risco de ataque cardíaco e derrame," afirmam os doutores Martin Feelisch e Richard Weller no estudo publicado noJournal of Investigative Dermatology.
Embora evitar o exagero da exposição ao sol seja importante para prevenir o câncer de pele - o que é válido sobretudo para pessoas de pele muito clara e com histórico de câncer de pele na família -, os autores deste estudo sugerem que minimizar a exposição à luz do sol também pode ser algo negativo, aumentando o risco de condições relacionadas com as doenças cardiovasculares.
As doenças cardiovasculares, frequentemente associadas com a hipertensão arterial, são responsáveis por 30% das mortes em todo o mundo.

Raios UVA
Propagandas de filtros solares à parte, as conclusões do estudo científico mostram que a exposição aos raios ultravioleta A (UVA) dilata os vasos sanguíneos, reduz significativamente a pressão arterial e altera os níveis de óxido nítrico na circulação sanguínea, sem alterar os níveis de vitamina D.
Os experimentos indicaram que estoques de óxido nítrico nas camadas superiores da pele estão envolvidos na mediação de todos esses efeitos.
"Estes resultados são significativos para a discussão acerca dos potenciais benefícios à saúde da luz do sol e do papel da vitamina D neste processo. Pode ser um momento oportuno para reavaliar os riscos e os benefícios da luz solar para a saúde humana e reconsiderar as atuais recomendações de saúde pública," disse o professor Feelisch.
"Evitar o excesso de exposição à luz solar é fundamental para prevenir o câncer de pele, mas não ser exposto a ele de forma nenhuma, por medo ou como resultado de um certo estilo de vida, pode aumentar o risco de doença cardiovascular. E, com exceção da saúde óssea, os efeitos da suplementação oral de vitamina D têm sido decepcionantes," conclui ele.

Fonte: Diário da saúde - 21.01.2014
Nota deste blog: O sol é vida; privar-se dele é fugir do contato com a natureza, com o Deus Criador. Se o sol causasse mesmo câncer de pele, os animais que vivem soltos ao ar livre também contrairiam o câncer. Uma boa nutrição com antioxidantes a base de carotenóides, licopeno, luteína e alguns aminoácidos, bem como o óleo de coco passado sobre a pele faz bem seu trabalho de proteção dos raios solares. Devemos proteger sim as áreas mais sensíveis, mas pelo menos 10 minutos diários nos braços e pernas é essencial para a síntese da vitamina D.

19 de janeiro de 2014

Colesterol não é o Inimigo que você foi induzido a crer

Mais uma ¨verdade¨ difundida por interesses mercantis é questionada.
O texto abaixo, supostamente de responsabilidade de um médico experiente, ataca um dogma propagado em benefício da indústria da soja.
A linguagem e o estilo emprestam credibilidade ao artigo.


Cirurgião Cardíaco admite enorme erro!

Por Dr. Lundell Dwight, MD

Nós os médicos com todos os nossos treinamentos, conhecimento e autoridade, muitas vezes adquirimos um ego bastante grande, que tende a tornarmos difícil admitir que estamos errados. Então, aqui está. Admito estar errado... 
Como um cirurgião com experiência de 25 anos, tendo realizado mais de 5.000 cirurgias de coração aberto, hoje é meu dia para reparar o erro de médicos com este fato científico. Eu treinei por muitos anos com outros médicos proeminentes rotulados como "formadores de opinião." Bombardeado com a literatura científica, sempre participando de seminários de educação, formuladores de opinião que insistiam que doença cardíaca resulta do fato simples dos elevados níveis de colesterol no sangue.
A terapia aceita era a prescrição de medicamentos para baixar o colesterol e uma severa dieta restringido a ingestão de gordura. Este último é claro que insistiu que baixar o colesterol e doenças cardíacas. Qualquer recomendação diferente era considerada uma heresia e poderia possivelmente resultar em erros médicos.
Ela não está funcionando! Estas recomendações não são cientificamente ou moralmente defensáveis. A descoberta, há alguns anos que a inflamação na parede da artéria é a verdadeira causa da doença cardíaca é lenta, levando a uma mudança de paradigma na forma como as doenças cardíacas e outras enfermidades crônicas serão tratados.
As recomendações dietéticas estabelecidas há muito tempo ter criado uma epidemia de obesidade e diabetes, cujas consequências apequenam qualquer praga histórica em termos de mortalidade, o sofrimento humano e terríveis consequências econômicas.
Apesar do fato de que 25% da população tomar caros medicamentos a base de estatina e, apesar do fato de termos reduzido o teor de gordura de nossa dieta, mais americanos vão morrer este ano de doença cardíaca do que nunca. Estatísticas do American Heart Association, mostram que 75 milhões dos americanos atualmente sofrem de doenças cardíacas, 20 milhões têm diabetes e 57 milhões têm pré-diabetes. Esses transtornos estão a afetar pessoas cada vez mais jovens em maior número a cada ano.
Simplesmente dito, sem a presença de inflamação no corpo, não há nenhuma maneira que faça com que o colesterol se acumule nas paredes dos vasos sanguíneos e cause doenças cardíacas e derrames. Sem a inflamação, o colesterol se movimenta livremente por todo o corpo como a natureza determina. É a inflamação que faz o colesterol ficar preso.
A inflamação não é complicada - é simplesmente a defesa natural do corpo a um invasor estrangeiro, tais como toxinas, bactéria ou vírus. O ciclo de inflamação é perfeito na forma como ela protege o corpo contra esses invasores virais e bacterianos. No entanto, se cronicamente expor o corpo à lesão por toxinas ou alimentos no corpo humano, para os quais não foi projetado para processar, uma condição chamada inflamação crônica ocorre. A inflamação crônica é tão prejudicial quanto a inflamação aguda é benéfica.
Que pessoa ponderada voluntariamente exporia repetidamente a alimentos ou outras substâncias conhecidas por causarem danos ao corpo? Bem, talvez os fumantes, mas pelo menos eles fizeram essa escolha conscientemente. O resto de nós simplesmente seguia a dieta recomendada correntemente, baixa em gordura e rica em gorduras poli-insaturadas e carboidratos, não sabendo que estavam causando prejuízo repetido para os nossos vasos sanguíneos. Esta lesão repetida cria uma inflamação crônica que leva à doença cardíaca, diabetes, ataque cardíaco e obesidade. 
Deixe-me repetir isso. A lesão e inflamação crônica em nossos vasos sanguíneos é causada pela dieta de baixo teor de gordura recomendada por anos pela medicina convencional.
Quais são os maiores culpados da inflamação crônica? Simplesmente, são a sobrecarga de simples carboidratos altamente processados (açúcar, farinha e todos os produtos fabricados a partir deles) e o excesso de consumo de óleos ômega-6 (vegetais como soja, milho e girassol), que são encontrados em muitos alimentos processados.
Imagine esfregar uma escova dura repetidamente sobre a pele macia até que ela fique muito vermelho e quase sangrando. Faça isto várias vezes ao dia, todos os dias por cinco anos. Se você pudesse tolerar esta dolorosa escovação, você teria um sangramento, inchaço e infecção da área, que se tornaria pior a cada lesão repetida. Esta é uma boa maneira de visualizar o processo inflama tório que pode estar acontecendo em seu corpo agora.

Independentemente de onde ocorre o processo inflamatório, externamente ou internamente, é a mesma. Eu olhei dentro de milhares e milhares de artérias. Na artéria doente parece que alguém pegou uma escova e esfregou repetidamente contra a parede da veia. Várias vezes por dia, todos os dias, os alimentos que comemos criam pequenas lesões compondo em mais lesões, fazendo com que o corpo responda de forma contínua e adequada com a inflamação.
Enquanto saboreamos um tentador pão doce, o nosso corpo responde de forma alarmante como se um invasor estrangeiro chegasse declarando guerra. Alimentos carregados de açúcares e carboidratos simples, ou processados com óleos omega-6 para durar mais nas prateleiras foram a base da dieta americana durante seis décadas. Estes alimentos foram lentamente envenenando a todos.
Como é que um simples bolinho doce cria uma cascata de inflamação fazendo-o adoecer?
Imagine derramar melado no seu teclado, ai você tem uma visão do que ocorre dentro da célula. Quando consumimos carboidratos simples como o açúcar, o açúcar no sangue sobe rapidamente. Em resposta, o pâncreas segrega insulina, cuja principal finalidade é fazer com que o açúcar chegue em cada célula, onde é armazenado para energia. Se a célula estiver cheia e não precisar de glicose, o excesso é rejeitado para evitar que prejudique o trabalho.
Quando suas células cheias rejeitarem a glicose extra, o açúcar no sangue sobe produzindo mais insulina e a glicose se converte em gordura armazenada.
O que tudo isso tem a ver com a inflamação? O açúcar no sangue é controlado em uma faixa muito estreita. Moléculas de açúcar extra grudam-se a uma variedade de proteínas, que por sua vez lesam as paredes dos vasos sanguíneos. Estas repetidas lesões às paredes dos vasos sanguíneos desencadeiam a inflamação. Ao cravar seu nível de açúcar no sangue várias vezes por dia, todo dia, é exatamente como se esfregasse uma lixa no interior dos delicados vasos sanguíneos.
Mesmo que você não seja capaz de ver, tenha certeza que está acontecendo. Eu vi em mais de 5.000 pacientes que operei nos meus 25 anos que compartilhavam um denominador comum - inflamação em suas artérias.
Voltemos ao pão doce. Esse gostoso com aparência inocente não só contém açúcares como também é cozido em um dos muitos óleos omega-6 como o de soja. Batatas fritas e peixe frito são embebidos em óleo de soja, alimentos processados são fabricados com óleos omega-6 para alongar a vida útil. Enquanto ômega-6 é essencial - e faz parte da membrana de cada célula controlando o que entra e sai da célula - deve estar em equilíbrio correto com o ômega-3.
Com o desequilíbrio provocado pelo consumo excessivo de ômega-6, a membrana celular passa a produzir substâncias químicas chamadas citocinas, que causam inflamação.Atualmente a dieta costumeira do americano tem produzido um extremo desequilíbrio dessas duas gorduras (ômega-3 e ômega-6). A relação de faixas de desequilíbrio varia de 15:1 para tão alto quanto 30:1 em favor do ômega-6. Isso é uma tremenda quantidade de citocinas que causam inflamação. Nos alimentos atuais uma proporção de 3:1 seria ideal e saudável.
Para piorar a situação, o excesso de peso que você carrega por comer esses alimentos, cria sobrecarga de gordura nas células que derramam grandes quantidades de substâncias químicas pró-inflamatórias que se somam aos ferimentos causados por ter açúcar elevado no sangue. O processo que começou com um bolo doce se transforma em um ciclo vicioso que ao longo do tempo cria a doença cardíaca, pressão arterial alta, diabetes e, finalmente, a doença de Alzheimer, visto que o processo inflamatório continua inabalável.
Não há como escapar do fato de que quanto mais alimentos processados e preparados consumirmos, quanto mais caminharemos para a inflamação pouco a pouco a cada dia. O corpo humano não consegue processar, nem foi concebido para consumir os alimentos embalados com açúcares e embebido em óleos omega-6.
Há apenas uma resposta para acalmar a inflamação, é voltar aos alimentos mais perto de seu estado natural. Para construir músculos, comer mais proteínas. Escolha carboidratos muito complexos, como frutas e vegetais coloridos. Reduzir ou eliminar gorduras omega-6 causadoras de inflamações como óleo de milho e de soja e os alimentos processados que são feitas a partir deles. Uma colher de sopa de óleo de milho contém 7.280 mg de ômega-6, de soja contém 6.940 mg. Em vez disso, use azeite ou manteiga de animal alimentado com capim.As gorduras animais contêm menos de 20% de ômega-6 e são muito menos propensas a causar inflamação do que os óleos poli-insaturados rotulados como supostamente saudáveis
Esqueça a "ciência" que tem sido martelada em sua cabeça durante décadas. A ciência que a gordura saturada por si só causa doença cardíaca é inexistente. A ciência que a gordura saturada aumenta o colesterol no sangue também é muito fraca. Como sabemos agora que o colesterol não é a causa de doença cardíaca, a preocupação com a gordura saturada é ainda mais absurda hoje.
A teoria do colesterol levou à nenhuma gordura, recomendações de baixo teor de gordura que criaram os alimentos que agora estão causando uma epidemia de inflamação.
A medicina tradicional cometeu um erro terrível quando aconselhou as pessoas a evitar a gordura saturada em favor de alimentos ricos em gorduras omega-6. Temos agora uma epidemia de inflamação arterial levando a doenças cardíacas e a outros assassinos silenciosos.
O que você pode fazer é escolher alimentos integrais que sua avó servia (frutas, verduras, cereais, manteiga, banha de porco) e não aqueles que sua mãe encontrou nos corredores de supermercado cheios de alimentos industrializados. Eliminando alimentos inflamatórios e aderindo a nutrientes essenciais de produtos alimentares frescos não-processados, você irá reverter anos de danos nas artérias e em todo o seu corpo causados pelo consumo da dieta típica americana.
O ideal é voltarmos aos alimentos naturais e muito trabalho físico (exercícios).

[Ed. Nota: Dr. Dwight Lundell é ex-Chefe de Gabinete e Chefe de Cirurgia no Hospital do Coração Banner, Mesa, Arizona. Sua prática privada, Cardíaca Care Center foi em Mesa, Arizona. Recentemente, Dr. Lundell deixou a cirurgia para se concentrar no tratamento nutricional de doenças cardíacas. Ele é o fundador da Fundação Saúde dos Humanos, que promove a saúde humana com foco na ajuda às grandes corporações promover o bem estar. Ele é o autor de "A Cura para a Doença Cardíaca e A Grande Mentira do Colesterol"