26 de agosto de 2009

Vitamina D para controlar a pressão

Veja abaixo interessante artido extraído do site http://www.melnex.net/saúde
"Existem muitas soluções naturais para pressão alta. Um dos métodos mais eficazes que tenho visto durante os últimos anos é a Vitamina D. Tenho notado uma redução significativa da pressão
arterial em pessoas que tenho atendido, quando elas tomam suplementos de Vitamina D. Veja que, sem um suprimento adequado de Vitamina D, um dos nossos genes (pequenas partes do DNA) inicia uma produção excessiva da molécula chamada renina. A renina decompõe outra molécula, o angiotensinogênio (ou hipertensinogênio) em angiotensina I. Essa angiotensina I é convertida em angiotensina II por uma substância conhecida como enzima conversora da angiotensina (sigla ACE, em inglês). A resultante final - - angiotensina II - - é a "substância ruim" que (quando em excesso) causa a pressão elevada. A maioria dos anti-hipertensivos patenteados mais renomados são inibidores de ACE e bloqueadores dos receptores da angiotensina II (ARB, em inglês). Mas a Vitamina D faz um trabalho melhor que esses medicamentos, pois ela ataca o problema no seu nível genético mais básico. Na sua forma totalmente ativada, a Vitamina D "convence" o gene que controla a produção de renina a tornar-se menos ativo. Quando cai a produção de renina, cai a produção dos "intermediários" citados acima, e o resultado final é menos angiotensina II e pressão sangüínea mais baixa. Isso significa que uma coisa tão simples como a suplementação de Vitamina D pode tornar desnecessários os inibidores de ACE (e os bloqueadores ARB).
Embora seja possível ocorrer uma ingestão excessiva de Vitamina D, pesquisas recentes têm reavaliado o limite máximo seguro dessa vitamina. E muitos especialistas hoje em dia concordam
que esse limite é 10.000 UI diárias. Para mim, a ingestão ideal de Vitamina D é a quantidade necessária para atingir um nível sangüíneo de aproximadamente 60 ng/ml (que é a média encontrada nas pessoas que vivem nos trópicos - pela maior exposição ao sol - e que apresentam substancialmente menos hipertensão do que as pessoas que vivem mais afastadas da linha do equador).
Se você quiser tentar a abordagem do "nível ideal de Vitamina D" para reduzir sua pressão, o melhor é sempre trabalhar em conjunto com o seu médico para monitorar o nível da Vitamina D no sangue. E seja paciente: geralmente leva de dois a três meses para que mudanças significativas comecem a ocorrer, e de seis a oito meses para que a Vitamina D cause seu efeito total."
O sol é a melhor fonte de vitamina D. Pode-se fazer uso também do óleo de fígado de bacalhau que tem vitamina A e D, além do suplemento via oral na forma de vitamina D3.
Fonte: Dicas de saúde do Dr. Jonathan Wright, http://www.tahoma-clinic.com/"

21 de agosto de 2009

A importância das enzimas

O termo enzima vem do grego "enzymos" = levedado. A primeira enzima foi extraída do levedo de cerveja, fungo microscópico, por Buschner, em 1897. Ele a chamou de "zymase", produto que tem as propriedades de fermentação do levedo de cerveja. As enzimas tem a faculdade de provocar ou acelerar uma reação bioquímica. Cada enzima é específica para uma reação em particular. Por exemplo, ao ingerir proteínas, nosso corpo precisa das enzimas para digerir, quebrar em aminoácidos. Calcula-se que temos em média de três a cinco mil enzimas em nosso corpo.
Todo alimento cru de origem vegetal ou animal está cheio de enzimas. No entanto, elas são muito frágeis e são destruídas pelo calor do cozimento. Todo alimento não cozido contém enzimas digestivas que são seus elementos mais preciosos. Óleos, gorduras e nozes, também contém bastante lipase, que facilita a digestão das gorduras. Frutas e legumes, contém boa quantidade de uma enzima necessária à destruição das fibras vegetais, assim como alimentos fermentados como missoshiru (sopa de pasta de soja), molho shoyu e o Floranew *. Uma prática que aumenta consideravelmente a atividade enzimática é o processo de germinação de sementes como o trigo, girassol, castanhas etc.
A falta de enzimas pode acarretar vários problemas de saúde, dentre eles são:
alergias; distúrbios de pressão, sono após as refeições, desânimo, muitos gases no trato digestivo, dor de estômago, azia, enjôo, diarréia, constipação, fezes mal cheirosas, tontura, pele áspera, alergia a pólen, cistite, catarata, hemorróidas, reumatismo, inflamação do pâncreas, esterilidade, câncer.
Motivos da diminuição de produção das enzimas
- aumento da idade
- hábitos alimentares inadequados;
- poluição, remédios alopáticos, agrotóxicos etc.
Numerosos estudos e experiências de laboratório mostram que os animais que comem alimentos crus apresentam grande resistência à doenças; esta resistência desaparece assim que comem alimentos cozidos.
Floranew: é um composto fermentado de mais de 80 ingredientes entre grãos, frutas, verduras, legumes, raízes, algas e especiarias, produzido pela empresa macrobiótica Anew, em perfeito equilíbrio entre yin e yang, cuja função é nutrir, ativar as enzimas, bem como aumentar a quantidade de bactérias benéficas no intestino.
Fonte: adaptado do livro: "Você sabe se alimentar? Autor Dr. Soleil

9 de agosto de 2009

Como fortalecer seu sistema imunológico

Em tempos de gripe, vale ressaltar que o principal remédio está no prato, bem como a adoção de um estilo de vida saudável, com o estresse equilibrado.

No caso de frutas cítricas, como a laranja ou abacaxi, dê preferência coma-as ao invés da ingestão do suco, pois a saliva da boca neutraliza a acidez, bem como eventual irritação na garganta, pois casos de faringite, por exemplo, com a ingestão de sucos ácidos machuca a mucosa, abrindo-se a entrada para os vírus. Suplemento de vitamina C, principalmente para quem é tabagista é recomendado, uma vez que é uma vitamina antioxidante. Não utilize ácido ascórbico, pois gera acidez excessiva no organismo. É preferível utilizar em forma de ascorbato, mais facilmente absorvido pelo corpo e sem efeitos colaterais. Dependendo da constituição física e do nível de estresse, varia entre 500mg e 10 gramas por dia. Pergunte ao seu médico.

Algumas ervas que ajudam a aumentar a imunidade são:
Equinácea (echinacea angustifolia): nativa dos Estados Unidos, tem sido utilizada há centenas de anos. Aumenta a atividade dos glóbulos brancos e tem efeito antibactericida e antiviral. Em caso de dores no corpo, tome uma colher de chá da tintura antes de dormir. Pode ser usada em conjunto com outras ervas de efeito antibiótico como hidraste canadensis ou o alho;
Ginseng: é uma erva muito forte e quente, combate fraquezas e resfriados. Não deve ser usado por pessoas muito yang com problemas de excesso de calor no corpo. O ginseng canadense é mais frio e suave.
Astrágalo: Também usado há centenas de anos pelos chineses, é um excelente tônico do sistema imunológico, agindo lentamente na medula óssea, ajudando a produzir glóbulos brancos. deve ser usado por pelo menos de seis a oito semanas para melhores resultados.
Alcaçuz: É um tônico eficaz para as glândulas supra-renais. Muito utilizado por herbalistas chineses. Não deve ser usado por quem tem tendência a pressão alta, pois pode causar perda de potássio e retenção de líquido.
Alho: Esse pequeno bulbo de cheiro forte, usado também há centenas de anos, é antiviral, antibactericida e antifungúngico. A maneira medicinal é ingerí-lo cru. Para amenizar seu bafo, mastigue algumas folhas de salsa ou hortelã. Não deve ser usado por quem tem problemas de fígado.
Cebola: Tem o efeito de aquecer o corpo, reduzir a coagulação e liminar gripes e resfriados. É um dos alimentos mais ricos em enxofre, um elemento que ajuda a remover metais pesados e parasitas, limpando as artérias, retardando o crescimento de vírus, fungos. Tem ainda o poder de inibir reações alérgicas, diminui o muco e faz suar.
Açafrão (curcuma longa): É muito utilizado na medicina ayurvedica. Além de digestiva, mantém a flora intestinal, reduz gases e tem propriedades refrescantes. Age como antibiótico, antifungicida e anticancerígeno, além de antiinflamatório.
Gengibre (Zingibar officinale): É antiinflamatório, reduz dores, além de ser um tônico do coração. Ajuda a dissolver mucos. Pode ser usado em forma de pó, chá ou como tempero. Tonifica rins e pulmões.
Pela aromaterapia, pode-se tomar como preventivo e curativo, o óleo essencial de limão, na dosagem de até 3 gotas diluída em uma colher de sopa de água ou mel. Seu óleo é obtido da casca da fruta, tendo o princípio ativo d-limoneno, importante anti-viral, bactericida, imunoestimulante, antisséptico e anti-tumoral. Outro óleo conhecido como imunoestimulante é o tea-tree (melaleuca alternifolia) que pode ser usado em massagens ou difusores.

Também para a prevenção da gripe comum, já chegou ao mercado a primeira vacina homeopática, aprovado pela Anvisa há pouco tempo, é produzido pelo laboratório homeopático francês Boiron. Vem em seis glóbulos, tomando-se um por semana, não tendo efeitos colaterais, podendo-se ministrar a crianças a partir de um ano de idade.