20 de dezembro de 2011

Tireóide: cuide bem dessa glândula

É muito comum atualmente os casos de distúrbios da glândula tireóide, seja hipo ou hipertireodismo, merecem muito atenção pois a cada dia cresce casos desse diagnóstico. Infelizmente a medicina tradicional não ando junto com a medicina nutricional e trata os pacientes apenas com remédios, alegando que a pessoa deverá tomar o hormônio para vida toda. Triste situação. Saiba que esse problema pode ser evitado sim e contornado  com uma boa alimentação e suplementação de alguns minerais e vitaminas. Muitas vezes tem origem nos problemas emocionais, como exemplo, por situar na região da garganta, que corresponde ao chakra laríngeo, que cuida da comunicação. Engolir sapos, não falar o que deve ser falado desequilibra essa região. Indecisão e frustração também. 
Segundo o livro "Manual do Proprietário do médico Edmond Saab Jr", os hormônios tireoidianos influenciam todos os sistemas orgânicos, pois controlam o processo metabólico do corpo. Veja a seguir os sintomas de hipotireoidismo:
Fadiga
Intolerância ao frio
Constipação intestinal
Diminuição da memória e concentração mental
Pele seca
Alterações do metabolismo de gordura (colesterol e triglicérides)
Aumento de peso
Obesidade
Hipertensão arterial
Queda de cabelos
Unhas quebradiças
Predisposição à infarto e derrame
Sonolência e lentidão
Depressão e ansiedade
Infertilidade feminina
Hemorragias menstruais ou ausência de menstruação
Déficit do hormônio de crescimento e envelhecimento precoce em adultos

Por que temos uma epidemia de hipotireodismo atualmente?
Toxinas ambientais (um exemplo é o flúor na água)
Metais pesados
Oxidação excessiva
Inflamação crônica silenciosa
Déficit de nutrientes
Fígado intoxicado
Mau funcionamento do intestino

Entendendo como o hormônio tireoidiano é fabricado
Se o fígado estiver funcionando mal, como geralmente está, carregado de toxinas, não transforma o T4 em T3. Se o paciente estiver com déficit de selênio, ele também não executa essa transformação.
Ao fazer exame de sangue e dosar  os valores de TSH e do T4 livre e, se essas dosagens estiverem dentro da faixa considerada normal (0,5 a 5)mUI/ml, você não tem hipotireodismo.

Como é feito o tratamento?
Além da prescrição do T4 sintético, o tratamento sugerido é:
Eliminação de toxinas ambientais, diminuindo-se sua exposição.Alimentos ricos em clorofila como verduras escuras e tempero como coentro são excelentes para eliminação de metais pesados como chumbo, alumínio e mercúrio. Algas clorella também é excelente até para ajudar eliminar metais radioativos.
Exercícios físicos para suar a camisa.
Sauna
Equilibrar o intestino
Aumento da produção de glutation
Limpeza intestinal para desintoxicar o fígado e sistema linfático
Atenção à intolerância e alergia alimentares e, nesse caso, existe uma correlação enorme entre hipotireodismo e intolerância ao glúten

Segundo a nutrição, deve-se suplementar o paciente com 
selênio
Zinco
Cobre
Iodo
Vitamina A
Vitamina D

Importante também para controlar a inflamação crônica silenciosa é a suplementação de ômega-3. E para controlar a oxidação excessiva é o uso de antioxidantes.
Se necessário a suplementação de hormônios tireoidianos com a utilização do T4 associado ao T3.
Muitas vezes também o hipotireoidismo está associado ao aumento da resistência à insulina que também gera inflamação crônica silenciosa. Você parou para pensar quantas pessoas tomam remédios para emagrecer sem modular a tireóide? Ou mulheres que não conseguem engravidar e que procuram o ginecologista? Quantos remédios desncessários estão sendo usados e causando efeitos colaterais!
Outra questão importante a informar é o uso do sal de cozinha. Esse comercial refinado que tem apenas cloreto de sódio. Com o crescente aumento de casos de hipertensão arterial, a população está fugindo ou reduzindo o sal na comida. Pois bem. O sal refinado sim deve ser evitado! Em sua composição entram elementos químicos como alumínio e a perda de minerais importantes. O sódio na ausência do potássio e de outros minerais engrossa o sangue e provoca a subida da pressão arterial. Por isso a recomendação de consumo de até 6 gramas de sal por dia. Já o sal marinho contém 82 minerais, assim como o sal do himalaya, também conhecido como sal rosa. Esses sais usados com moderação não tem problema e ainda repõe o iodo naturalmente, pois o iodo adicionado ao sal refinado não é absorvido pelo corpo (entra e sai).
Espero ter ajudado com essas informações. Consulte mais de um médico ou procure uma nutricionista, não esquecendo também de cuidar do corpo emocional, com a prática de meditação, uso de florais etc.

Fonte: adaptado do livro Manual do proprietário, editora Delphos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Fruta dos Monges - Luo Han Guo

Luo Han Guo, fruta dos monges, também é conhecida como barriga de buda, é originária do sul da China e do norte da Tailândia.  Pela me...