9 de maio de 2011

FEBRE: PROBLEMA OU SOLUÇÃO

Nenhum outro sistema é capaz de reagir e de interagir tanto quanto o nosso sistema imunológico, especialmente na infância. O fenômeno da febre alta explica isto muito bem, principalmente em crianças. Elas podem ter um surto febril muito rápido e alto, mas tão rápido que, da mesma forma que a febre veio; ela também desaparece; desde que o sistema imunitário não seja bloqueado com remédios.

O ser humano sempre tentou dominar o outro através do medo. Isso fica patente no distúrbio evolutivo que hoje chamamos de educação baseada no medo, mentira, suborno e chantagem. Quando a indústria farmacêutica descobriu e comercializou o antitérmico disseminou o terror a respeito da convulsão febril e do risco de lesões cerebrais com a febre, induzindo as pessoas com dificuldade em raciocinar a acreditarem que se a febre não fosse combatida (bloqueada) levaria á morte. É sabido que a febre é um das melhores chances para superar uma fraqueza imunológica. Em doentes com câncer aplicam-se, por exemplo, banhos quentes para aumentar a temperatura do corpo, ativando assim o sistema imunológico.

Lógico que suas intenções seriam aceitas pelo poder da lavagem cerebral – hoje grande parte das pessoas considera uma reação patológica de um mecanismo de defesa quando acontecem febre, inflamações e eliminação em excesso. Este fenômeno não é nenhum indício de fraqueza, mas, ao contrário, é uma reação natural de defesa do corpo. Infelizmente nos dias de hoje essa visão predomina e principalmente no caso de crianças, os antitérmicos, anti-inflamatórios e antibióticos, são prescritos ou auto-ministrados mais do que depressa em casos de febre e resfriados.

Meu filho vive doente! – Claro, pois com isto, estamos impedindo um curso natural de cura, e na próxima oportunidade a febre volta para tentar dar continuidade no processo de resgistro de memória imunitária.

O que fazer durante a febre? - O método tradicional antigo de aplicar compressas frias e banhos mornos pode influenciar muito mais suavemente o decorrer da febre sem efeitos colaterais. Naturalmente existem doenças que precisam da supervisão de um médico para tratar reações fortes e perigosas. Mas, também aqui métodos naturais, que aumentem lentamente a defesa do próprio organismo, deve ser a primeira escolha, sem, claro, expor um doente grave a perigo de vida. A escolha é do médico nestes casos. Supondo que durante uma vida toda combatemos doenças com medicamentos, sem dar ao corpo a chance de se auto-curar, a conseqüência seria uma dependência medicamentosa constante e um sistema orgânico de defesa cada vez mais fraco.

A maioria das doenças infecciosas pode ser tratada através de métodos naturais; tentando eliminar inflamações e febre pela pele e pelas mucosas. Pela medicina natural temos excelentes oportunidades para isto. Por exemplo, não existe um método melhor, tanto para prevenção como no caso de infecção, de que fazer o paciente transpirar, junto com a administração de muito líquido, jejum e repouso na cama. É sempre aconselhável jejuar durante uma fase infecciosa ou febril, também pelo fato que o doente não sente mesmo apetite (a Natureza mostra inúmeras vezes o caminho da cura; pena que não acreditamos nela e sim em mentes oportunistas). Alguns dias de jejum não prejudicam se administramos sucos de frutas e vitaminas líquidas. Se tiver fome, somente uma alimentação leve em forma de mingaus ou frutas. Em casos de doenças infecciosas crônicas ou em pacientes muito fracos podemos lavá-los com água fria, o que automaticamente provoca transpiração e vermelhidão da pele, eliminando assim pelo suor as toxinas. Durante esta lavagem devemos estar atentos para que o doente não sinta frio, cobrindo-o rapidamente muito bem. Quanto mais o corpo necessita transpirar no seu processo de cura, tanto mais rápida será a reação a esta lavagem com água fria. É recomendável administrar alguns chás que favorecem a transpiração, como chá de bétula, de sálvia e outros, para ajudar na desintoxicação do fígado e do intestino.

Nem a febre; e muito menos o sistema imunológico é a causa de uma doença, mas um sinalizador de que algo não está funcionando a contento. Um sistema imunológico enfraquecido pela administração de muitos medicamentos, muitas vezes não consegue enfrentar situações debilitantes, abrindo assim a porta para doenças graves e às vezes incuráveis. Por isso a prevenção verdadeira e inteligente é tão importante.

O tratamento pela homeopatia é muito eficiente, especialmente por que não se bloqueia a febre; ao contrário, o processo é estimulado e com isso, a médio prazo as infecções de repetição são eliminadas. Sua ação facilita o desmanche dos bloqueios no sistema linfático e a resposta é muito rápida. As curas pela homeopatia de doenças agudas é muito mais rápida e eficiente – o conceito inadequado de tratamento lento com a homeopatia deve-se ao fato de que a maioria dos pacientes que a buscam são doentes crônicos e é lógico que um tempo seja preciso para que a resposta seja o esperado.
Seu filho faz febres altas com uma simples amigdalite? – Não se entristeça; fique feliz, pois isso sinaliza que seu sistema imunitário está funcionando bem. Fez uma pneumonia sem febre, preocupe-se, pois isso indica que o sistema imunitário está bloqueado.

Fonte: Blog Américo Canhoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário