30 de maio de 2010

Panelas e frigideiras - cuidado na hora de escolher

Você sabia que as panelas de cobre e alumínio interagem com o calor e a comida, liberando resíduos de metais em sua refeição? Altos níveis de alumínio já foram associados às doenças degenerativas como Alzeimer, perda de memória, queda de cabelo, osteoporose, indigestão. Níveis elevados de cobre compromete o sistema imunológico, permitindo o crescimento de células cancerosas. Quando lavadas com esponjas abrasivas, até as aço inoxidável, liberam pequenas quantias de níquel. Os modelos antiaderentes contém um polímero que está associado a distúrbios imunológicos e quando está na tempeatura acima de 300º emitem vapores  tóxicos. Na hora de escolher, prefira os modelos de ágata, vidro, ferro ou barro. O importante é estar isenta de chumbo, bem como não se deve guardar nenhuma comida em panela.

Fonte: adaptado do livro "Os segredos da longevidade, Dr. Maoshing Ni"

2 de maio de 2010

Seu médico já avaliou seu nível de homocisteína?

Você sabia que segundo estatísticas e pesquisas, metade das pessoas infartadas tinham o nível de colesterol normal? Fique sabendo que apesar da mídia e das propagandas da Indústria farmacêutica, o colesterol não é a causa do problema e sim, inflamação nas artérias. O LDL que é chamado de "mau", na verdade somente oxida nas paredes arteriais pela ação dos radicais livres e também, através da homocisteína, que certamente muita gente nunca ouviu falar e poucos médicos pedem exame de sangue para avaliar o seu nível. A homocisteína é um aminoácido não essencial que em taxa elevada contribui para o aumento do extresse oxidativo das células, gerando doenças como AVC, aterosclerose e aneurismas.Ela faz parte do subproduto intermediário que produzimos quando nosso corpo metaboliza (quebra) um aminoácido essencial chamado metionina. A metionina existe em grandes quantidades em carnes, queijos, farinha branca, ovos, comida enlatada e em alimentos altamente processados. Apesar de necessitarmos de metionina, o consumo desses tipos de alimentos é muito grande, especialmente nos Estados Unidos. O nosso corpo converte a homocisteína em cisteína ou a transforma novamente em metionina, mas para que isso ocorra é necessário ter enzimas para quebrar esse processo e para isso precisa ter no organismo, níveis adequados de ácido fólico (B9), vitamina B12 e vitamina B6 (piridoxina) para cumprirem a sua função. Se essas vitaminas abaixam, a homocisteína, essa vilã assassina começa a subir e a inflamação crônica silenciosa começa a crescer.
Lembre-se de pedir ao seu médico a dosagem da homocisteína e se o caso a suplementação de vitamina B, principalmente se na sua dieta não entram cereais integrais que são suas melhores fontes.

Fonte: adaptado do livro "O que seu médico não sabe sobre medicina nutricional pode estar matando você, autor, Ray D. Strand, M.D.